Baião representado em Madrid por artista plástica com raízes no concelho

Baião representado em Madrid por artista plástica com raízes no concelho

A 4 de outubro, foi aberta ao público a nova exposição da artista plástica Cristina Rodrigues na Naves Matadero, em Madrid, uma das mais importantes galerias de arte de Espanha.

A mostra tem como peça central a “Bengala de Cohen”, cuja criação foi inspirada num elemento cultural do concelho de Baião, a bengala de Gestaçô, bem como num artefacto usado por uma personagem do livro “Os Maias”, de Eça de Queiroz.

Na abertura da exposição, que tem o apoio da Embaixada de Portugal em Espanha e do Instituto Camões, estiveram presentes curadores, artistas e críticos de arte de renome internacional. No futuro, esta obra de arte irá participar noutras exposições internacionais.

Home is the Cathedral of Life, de Cristina Rodrigues

Uma das figuras presentes na inauguração foi Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, que sublinhou a capacidade desta produção em ultrapassar fronteiras e projetar o nome e a cultura do concelho a nível internacional: “A Bengala de Cohen irá funcionar como embaixadora do concelho de Baião, permitindo transmitir a identidade cultural em todo o mundo”, afirmou.

A Bengala do Cohen, de Cristina Rodrigues

Na opinião do autarca, “Cristina Rodrigues é uma das artistas portuguesas mais influentes e singulares da sua geração”. Quanto à obra, Paulo Pereira defende que se “reveste de um significado especial na valorização de um produto artesanal e histórico do concelho de Baião, que é a bengala de Gestaçô, mas também o escritor Eça de Queiroz e a sua Fundação, e mesmo a artista Cristina Rodrigues, que, com as suas raízes baionenses, leva o nome da nossa terra consigo”.

Refira-se que a artista, apesar de residir em Inglaterra desde 2009, passou parte da infância e da adolescência no concelho de Baião. Cristina Rodrigues passava as férias de verão e da Páscoa junto ao rio Douro, em Caldas de Aregos (Resende). Daí, caminhava até à Fundação Eça de Queiroz, em Santa Cruz do Douro (Baião), onde passava a tarde a ler.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta