“Salas do Futuro” da ideia de Amarante para o Tâmega e Sousa

“Salas do Futuro” da ideia de Amarante para o Tâmega e Sousa

A Escola Básica do Marão, do Agrupamento de Escolas de Amarante, e a Escola Básica Amadeo de Souza Cardoso, do Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso, ambas do município de Amarante, têm, a partir de hoje, uma Sala do Futuro.

A inauguração destes novos espaços aconteceu na manhã desta quinta-feira e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Amarante, José Luís Gaspar e respetivo executivo em ambas as escolas, e do secretário-geral da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Telmo Pinto, na Escola Básica Amadeo de Souza Cardoso.

Os novos equipamentos “Salas do Futuro” tiveram como origem uma sugestão apresentada ao município de Amarante pelas professoras Ana Batista e Dina Sanches, no ano letivo 2015/2016.

O principal objetivo deste espaço, segundo indicam, é que seja um lugar de aprendizagem para os alunos e para os professores, com a capacidade de introduzir novas metodologias.

Estas “Salas do Futuro” contam com robótica, ecrãs interativos, impressora 3D, mesa interativa, tablets e mesa de voto. Estão também equipadas com carros de carregamentos para dispositivos eletrónicos, câmara de filmar, ecrãs de visualização de conteúdos multimédia e mobiliário para 30 alunos.

O presidente da autarquia de Amarante, José Luís Gaspar, recordou o dia em que a proposta lhe foi apresentada. “Fiquei entusiasmado porque a Ana fez um trabalho excelente, sabia o que estava a apresentar. Na altura dispusemos-nos logo a ajudar”, afirmou.

Entretanto a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa criou o Plano Integrado de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE), tendo o município de Amarante apresentado a sugestão das “Salas do Futuro”. “Foi apresentado por Amarante e outros municípios acolheram a iniciativa, o que nos deixa muito orgulhosos, porque a ideia partiu de uma professora de uma escola de Amarante”, afirmou.

Esta iniciativa vai ser implementada em oito municípios que integram a CIM do Tâmega e Sousa.

“Temos de arranjar ferramentas para conseguir chegar ao aluno. Todos nós temos responsabilidade no sucesso escolar de cada criança”, sublinhou o José Luís Gaspar, destacando a importância desta sala, que afirma ter de ser “uma sala desarrumada. Não pode ser formatada para estar em fila, tem de ser uma sala em que o aluno percorre todo o percurso e o professor tem disponível as ferramentas para o poder acompanhar e isto faz toda a diferença”.

O autarca terminou o seu discurso com um pedido dirigido aos professores: “Esta sala precisa que vocês dêem muito mais. É um projeto novo, que vai obrigar a uma capacitação de todos os professores e de uma entrega diferente. Acredito que se fizerem isso, esta será uma sala de futuro e de sucesso”.

Tomando a palavra, o secretário geral da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Telmo Pinto, recordou que esta é uma ferramenta “que vai apropriar, com mais facilidade, o aluno à escola. Este tipo de equipamentos é dirigido para os alunos que não se sentem bem na escola, para combater o insucesso escolar”.

O secretário geral divulgou que o desejo da CIM, é que as salas sejam “usadas e abusadas”, afirmando que “não chega ter bons espaços e bons equipamentos, é necessário ter bons resultados” e garantiu que o território será “mais dinâmico e com mais desenvolvimento”.

No município de Amarante está prevista ainda a implementação de uma Sala do Futuro na Escola Secundária de Amarante, permitindo levar esta ideia a alunos mais avançados no percurso escolar. 

Este projeto corresponde a um investimento total de cerca de 150 mil euros e que será replicado por outros sete municípios da região do Tâmega e Sousa.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta