Resende: Câmara avança com “Programa Aregos 2020” para revitalizar Caldas de Aregos

Resende: Câmara avança com “Programa Aregos 2020” para revitalizar Caldas de Aregos

O Aregos 2020 – Programa Municipal de Reabilitação Urbana de Caldas de Aregos – foi apresentado no passado dia 30 de setembro, na sessão ordinária da Assembleia Municipal de Resende.

Durante a sessão, que decorreu em Caldas de Aregos, foi mencionado que o programa prevê três áreas de intervenção, sendo elas a requalificação da ligação pedonal à cota alta do casco antigo; Regeneração urbana no espaço público do povoado antigo e reabilitação e reconversão parcial do edifício termal.

A requalificação da ligação pedonal à cota alta do casco antigo é uma intervenção que tem por objetivo facilitar a mobilidade pedonal com a criação de passeios de ligação e com um novo acesso para circulação de bicicleta. A obra  prevê ainda a melhoria das condições de acesso a pessoas com mobilidade reduzida e a criação de parque de estacionamento. Esta empreitada foi aprovada em candidatura submetida ao PAMUS – Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável, e vai custar 230.000,00 euros.

Quanto à regeneração urbana no espaço público do povoado antigo, vai ficar centrado no casco e as intervenção vão realizar-se nas ruas, ruelas e escadas, assim como feito um reforço do conceito de praceta na entrada do casco antigo. Esta obra destina-se a disciplinar a circulação e o parqueamento automóvel, promover a valorização dos espaços de estadia e substituir a camada de desgaste de pavimentos. A intervenção resulta de uma candidatura aprovada no âmbito do PARU – Plano de Ação de Regeneração Urbana, no valor de 220.000,00 euros.

A reabilitação e reconversão parcial do edifício termal é uma intervenção centrada no edifício das termas e zona envolvente. O objetivo é abrir o edifício ao Douro, estabelecendo uma ligação com o rio que, atualmente, não existe. O projeto, da autoria do arquiteto resendense Paulo Moura, prevê a recuperação do imóvel, sem alterar a estrutura, mas recuperando os espaços que não estão a ser utilizados. Esta reorganização vai permitir a criação de novas valências e potenciar os serviços existentes.

A empreitada, que vai transformar as Termas de Caldas de Aregos na Estância Termal do Douro, resulta de uma candidatura, em curso, no valor 4 milhões de euros, no âmbito do PROVERE – Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos. A conclusão das obras está prevista para 2021.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta