Cinfães procura “aprender com os erros” e renascer das cinzas após a queda ao futebol distrital

Cinfães procura “aprender com os erros” e renascer das cinzas após a queda ao futebol distrital

Corria o dia de 13 de maio de 2019, marco incontornável no calendário para milhares de devotos que terminaram a peregrinação ao Santuário de Fátima.

Para os adeptos do Cinfães, contudo, essa data ficou na memória pelos piores motivos, ou não tivesse sido nesse dia que a despromoção do Campeonato de Portugal ficou sentenciada. A partida em causa aconteceu em casa do Pedras Rubras, onde um empate a dois golos ditou a descida do emblema cinfanense à Divisão de Honra da AF Viseu.

“Desilusão” é a primeira palavra formar-se nos lábios de João Cardoso, presidente do clube, quando recorda esse momento “inglório”, que explica por terem acontecido “muitas coisas negativas ao clube nos últimos dois anos”. Agora, o líder reconhece que é tempo de “aprender com os erros”.

 

Nesse sentido, tem vindo a ser feita no clube uma renovação da equipa diretiva, plantéis e equipas técnicas, tanto no futebol como nas restantes modalidades. Para a nova direção, João Cardoso fez questão de se rodear de “pessoas com ideias novas, sem passado na parte desportiva”, de forma a dar “alma nova ao clube”, sem esquecer “todos os que se revêm nele”.

No que ao desporto-rei diz respeito, o presidente manteve a confiança na equipa técnica da época passada, por considerar que esta fez um “bom trabalho” e por se ter deparado com uma “boa aceitação dos sócios ao treinador”. Assim, Paulo Mendes prepara-se para a nova aventura ao leme do Cinfães, cujo plantel da temporada anterior – que fez um “bom trabalho” – viu entrar alguns reforços neste mercado de transferências.

Relativamente aos objetivos para a participação na Divisão de Honra, João Cardoso recusa o estatuto de favorito por ter chegado de uma divisão superior, preferindo encarar o futuro com “cautela”: “Não vamos ter esse objetivo, porque é muito ambicioso e pode levar ao insucesso”. Ainda assim, o homem que gere os desígnios do clube confessa que o plantel “tem qualidade para disputar todos os jogos para ganhar”.

Também ao nível da formação têm vindo a ser lançadas pedras de modo a construir um futuro sustentável para o clube. Nesse sentido, foi criado mais um escalão – o sub-10. Neste, tal como em todos os outros, o presidente espera “manter o apoio fundamental dos encarregados de educação”, o que tem vindo a revelar ser uma “parceria proveitosa”.

Porém, não só o futebol é aposta do Cinfães, com os olhos da direção liderada por João Cardoso a estarem também postos nas modalidades. Para além das já existentes, “o futsal sénior já tem plantel e equipa técnica” e o presidente continua à procura de “equipa técnica para o andebol”.

Todas estas medidas vão ao encontro do plano a “médio prazo” delineado pela direção do clube, que espera reunir “bons treinadores, bons seguidores e bons seres humanos”, de modo a acender uma “chama mais intensa para o futuro”.

João Cardoso não termina sem realçar a importância de cimentar a “ligação às pessoas”, visto que, “com todos unidos, tudo se torna mais fácil”.

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta