Luís Marinho: O bombeiro apaixonado por motores que é presidente do Clube Automóvel de Lousada

Luís Marinho: O bombeiro apaixonado por motores que é presidente do Clube Automóvel de Lousada

Há oito anos que Luís Marinho entrou para os Bombeiros Sapadores do Porto. Os mesmos que entrou para o Clube Automóvel de Lousada (CA Lousada). Foram duas decisões importantes na sua vida e que têm algo em comum: “precisam de tempo, amor e trabalho”.

Entre a vida de bombeiro e a de amante pelo desporto automóvel, Luís Marinho foi conciliando ambas de modo a ter tempo para as duas coisas. Os amigos foram-lhe “fazendo a cabeça para entrar para o clube” e, embora no início “tivesse medo de não aguentar com a carga”, lá entrou na aventura. Entrou “de cabeça, logo para a direção”. 

Foi comissário da pista e neste cargo permaneceu algum tempo. Nesta altura era Nelson Barbosa era quem orientava o Clube mas, movido por  motivos profissionais, teve de sair. Luís assumiu-se como vice-presidente mas, agora, foi a vez de ocupar o lugar de presidente fazendo a vez de Jorge Simão. Encabeçou a lista atual que se sagrou vencedora.

Mas para se ser presidente de um clube automóvel “é preciso gostar desta área”, e o gosto vem deste pequenino. Luís Marinho era ainda uma criança e já ia contar os carros que passavam nas pistas de competição. Mais tarde, já perito nas contas de matemática, ia com os amigos ver o Europeu de Rallycross. “Hoje acompanho provas de motas, de carros, de tudo, sou um apaixonado por motores“, refere o presidente do CA Lousada.

Sempre que pode, acompanha provas nacionais e internacionais, “só é pena não ter mais tempo para ver mais, mas já é bom”. Tempo é coisa que vai precisar também agora como presidente do clube pois assumiu o cargo cheio de ambições.

Manter as provas e ampliar o clube são ambições do presidente

“Quando se gosta do que se faz e se tem amor à camisola, tudo se consegue”, afirmou Luís Marinho. E é isso que espera conseguir fazer. Um dos seus objetivos passa por garantir o número de provas que possuem atualmente, “duas são de resistência, duas de nacional, o mundial de rali“. No entanto, o presidente do CA Lousada afirmou que estas ambições não estão apenas nas suas mãos, nem da restante equipa.

“Ano após ano é sempre uma incógnita, gostaríamos de fazer uma prova de drift, estamos a negociar, mas para já, com a nossa pista, que tem limitações, é dificil”, disse.

 

Em breve, o CA Lousada vai ser a entidade organizadora do  MOTORSHOW PORTO, que acontece no Pavilhão 6, num percurso de 1600 metros, um salto artificial que trará ainda mais adrenalina a este evento. A atividade em pista decorrerá durante os três dias, com treinos livres durante a sexta-feira dia 4, e qualificações nos dias 5 e dia 6, antes das finalíssimas que vão permitir encontrar o PILOTO MOTORSHOW 2019, na tarde de Domingo.

Luís Marinho está contente com o desafio que tem em mãos mas a “estreia traz muita responsabilidade. Era organizada por Pedro Ortigão já há muitos anos, está a um nível alto e não queremos andar para trás. Este será um evento fora da nossa zona de conforto, quer na área quer por ser longe de Lousada”, disse, mostrando-se mesmo assim convicto de que “tudo correrá bem, com rigor e profissionalismo”. 

Além das provas que quer garantir, também gostava de um dia ver o Clube Automóvel de Lousada a sofrer obras. “O espaço precisa do dobro do tamanho circuito e de área de apoio, o que faz com que se necessite de duas sou três vezes mais de espaço”, constatou. Isto porque a pista já tem mais de 30 anos, referiu, e “com Lousada a crescer e o público das provas também, Luís Marinho frisou que esta será uma necessidade.

Luís Marinho sonha em ver piloto Sébastien Loeb a competir no CA Lousada

A um apaixonado por motores, não poderia faltar a pergunta de quem gostaria de ver a pilotar no Clube Automóvel de Lousada. A resposta não foi imediata, porque “há vários nomes, e estão sempre a chegar grandes pilotos, e a surpreender”, o certo é que a resposta tardou mas veio.

“Sébastien Loeb”, disse. Já esteve a treinar no CA Lousada, “graças a Montalegre que tem feito com que grandes nomes venham até à região”, mas a pista de Lousada “não tem condições atualmente para que o piloto venha cá competir”. Por isso, o primeiro passo será dotar a CA Lousada de condições físicas para albergar provas internacionais. Em todo o caso “sonhar não custa, e Sébastien Loeb já fez muitos e bons pódios por esse mundo fora, é sempre um piloto que está nos meus sonhos” . 

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta