“Encontro Concelhio de Emigrantes de Baião” promoveu reencontro de filhos da terra

“Encontro Concelhio de Emigrantes de Baião” promoveu reencontro de filhos da terra

Pelo nono ano consecutivo, realizou-se o “Encontro Concelhio de Emigrantes de Baião”, que juntou no Pavilhão Multiusos cerca de 300 emigrantes naturais do concelho. Num evento recheado de momentos de confraternização, alegria e celebração das raízes, participaram tanto emigrantes acabados de regressar à terra que os viu nascer, como pessoas que já regressaram há algum tempo, mas que fizeram questão de recordar aquela fase das duas vidas.

A iniciativa contou com a presença do presidente e o vice-presidente da Câmara Municipal de Baião, respetivamente Paulo Pereira e José Pinho Silva, que tutela o Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE). Para além destes, estiveram também presentes José Luís Carneiro, presidente da Assembleia Municipal de Baião e Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, os vereadores José Lima e Henrique Gaspar, o deputado eleito pela emigração na Europa, Paulo Pisco, e Ilda Borges, coordenadora do GAE e principal organizadora do evento.

O encontro arrancou com celebração de uma missa em ação de graças a Nossa Senhora de Fátima. Depois das intervenções das várias entidades presentes no evento, teve lugar o almoço proporcionado pela organização. Já de energias repostas, começou a festa, com o baile levado a cabo pelo conjunto “O Estaleiro”.

Aquando da sua intervenção naquele que descreveu como sendo “um momento de partilha e de união”, Paulo Pereira elogiou a “sagacidade e a capacidade” dos cidadãos baionenses que emigraram para o estrangeiro em busca de melhores condições de vida: “vocês são um orgulho e uma grande mais-valia para Baião, porque, através do vosso trabalho, esforço e dedicação, mas também a forma como se integram nas comunidades dos países que vos acolhem, honram muito o vosso país e o vosso concelho”, afirmou.

Por sua vez, José Pinho Silva mostrou “orgulho na grande capacidade dos emigrantes em adaptarem-se aos vários cantos do mundo”. O autarca sublinhou também a “importância da inscrição dos baionenses a residir no estrangeiro no GAE”, o qual “serve de elo de ligação entre a Câmara Municipal e as comunidades baionenses dispersas por vários países do Mundo e permite que a autarquia possa dar, dentro das suas competências e possibilidades, mais atenção aos baionenses no estrangeiro”.

Já José Luís Carneiro, destacou a “capacidade de trabalho” dos emigrantes e o “modo como honram o nome” do concelho “nos vários países onde se encontram a fazer as suas vidas”, tendo ainda manifestado o desejo de que todos possam, um dia, regressar à casa de partida.

Sobre o GAE, refira-se que se trata de um serviço da autarquia que apoia os cidadãos baionenses que residem noutros países, bem como aqueles que pretendem emigrar. A inscrição neste serviço é gratuita e permite obter informação e auxílio em várias áreassocial, jurídica, económica, investimento, emprego e estudos, entre outras.

O GAE presta ainda informações relativas aos países de destino, para quem pretende emigrar; apoia cidadãos e empresas que pretendam dinamizar as potencialidades dos concelhos junto das Comunidades Portuguesas ou cidadãos emigrantes que queiram investir em Portugal; e auxilia os emigrantes em matérias da competência das autarquias: licenciamento de obras, licenciamento para comércio ou indústria e projetos.

Os cidadãos que se enquadrem nestes parâmetros, podem fazer a sua inscrição em www.cm-baiao.pt.

1 comentário

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

  • Benjamim
    22 Agosto, 2019, 10:28

    Bem hajam pela iniciativa. Devemos apoiar e acarinhar , quem pelos mais variados motivos teve que deixar o aconchego do lar familiar / terra natal, para ir se deslocar para outras terras que adoptam outros idiomas usos e costumes.

    REPLY