Baião: “Mesa farta e recheada de sabores tradicionais” foi destaque no Festival do Anho Assado com Arroz do Forno

Baião: “Mesa farta e recheada de sabores tradicionais” foi destaque no Festival do Anho Assado com Arroz do Forno

A 14.º edição do Festival do Anho Assado e do Arroz de Forno de Baião voltou a ser “um sucesso”. Quem o diz é o presidente da câmara, Paulo Pereira, em jeito de balanço de três dias de “mesa farta e recheada de sabores tradicionais de Baião”. 

As portas deste certame abriram-se no dia 26 de julho e só se fecharam pelas 19 horas de domingo, dia 28 de julho. O protagonista não variou nos três dias: foi sempre o anho assado, um prato típico desta terra cuja receita foi passado de geração em geração.

A feira voltou a encher-se de turistas e apreciadores da boa gastronomia e, de acordo com a autarquia, é estimado que tenham sido servidas mais de quatro mil refeições em três dias de festival.

Conquistar os visitantes pela qualidade da gastronomia e dos nossos produtos, mas também pela simpatia e pelo bem-receber dos baionenses”, disse Paulo Pereira, autarca local. Estes são, a seu ver, os dois fatores que têm contribuído para a dinamização do turismo no concelho

O autarca esteve acompanhado na cerimónia de abertura pelo restante executivo municipal, por vários presidentes da Junta, Associações e entidades, e realçou o esforço daqueles que participam no evento. “Isto não seria uma realidade sem o excelente trabalho dos restaurantes, dos produtores locais, dos agentes de turismo, dos colaboradores da autarquia e de tantas outras entidades que todos os dias puxam Baião para a frente”, sublinhou.

O festival contou com três restaurantes, que confecionaram a receita tradicional do Anho Assado, usando, para isso, os tradicionais fornos a lenha.  40 produtores juntaram-se à festa com um pouco do melhor que é produzido em Baião, onde se inclui o Biscoito da Teixeira, as compotas, os licores, o sumo de laranja natural, a ginja, a broa de milho, a doçaria, as amêndoas, o artesanato, entre outros.

Os vinhos verdes da sub-região de Baião, com destaque para a casta Avesso, também marcaram presença e acompanharam a refeição de Anho Assado com Arroz de Forno. O mesmo se pode dizer das Bengalas de Gestaçô e das Cestas de Frende, peças de artesanato que representam o concelho.

Para além da gastronomia, que teve o papel principal, houve espaço para a música e outras manifestações da cultura popular. Um dos pontos altos do evento foi a atuação do duo “Ricardo e Henrique” no sábado, dia 27. Destaque, também, para o Festival de Folclore no domingo à tarde, que trouxe a Baião dois ranchos externos, de Cinfães e Guimarães. Pelo recinto passaram ainda grupos de Zés P´reiras, tocadores de concertinas e a Banda Marcial da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere.

Na cerimónia de encerramento do certame, José Lima, vereador dos Assuntos Económicos da Câmara Municipal de Baião,  realçou o sucesso do evento e agradeceu a todos, produtores e organização, o facto de ajudarem, com brio e dedicação, a levar o nome de Baião além-fronteiras.

14 anos de Festival é um desafio porque a ideia pode, à partida, parecer gasta. Mas não. Todos os anos este Festival nos surpreende. Renova-se. Todos os anos recebe cada vez mais pessoas. Todos os anos reafirma a sua importância. Vamos mante-lo porque é uma boa montra do melhor que cá produzimos, e serve, também, como ponto de encontro dos vários emigrantes espalhados pelo mundo e que, nesta altura do ano, vêm matar saudades dos nossos sabores”, concluiu o autarca.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta