Publicidade

banner-baiao-festas-700x259

Vai-se viver “Payva D’Ouro” esta noite na Bienal da Cultura em Castelo de Paiva com 500 atores e figurantes

Vai-se viver “Payva D’Ouro” esta noite na Bienal da Cultura em Castelo de Paiva com 500 atores e figurantes

O Largo do Conde de Castelo de Paiva já está enfeitado a rigor para acolher o momento mais aguardado da Bienal da Cultura, que se realiza pela segunda vez neste município.

Várias luzes pintam a câmara municipal desde ontem à noite, conferindo-lhe uma tonalidade que remete para memórias passadas. Aquelas em que o rios Douro, Arda e Paiva eram distintos dos atuais, em que a Barragem não existia, mas a essência do povo era a mesma.

Não faltarão pescadores, as lavadeiras, os militares e os mineiros, a retomarem o tempo em que tudo chegava pelas margens do rio, as mesmas por onde tudo partia.

Quem o diz é António Capelo, encenador de toda a história “Payva D’Ouro” que vai hoje, pelas 22 horas, colocada em cena por cerca de 500 pessoas, desde profissionais do Teatro do Bolhão, a alunos da ACE Escola de Artes, até a membros da comunidade de Castelo de Paiva. A sonoridade principal vai estar a cargo dos coros e orquestras da Academia de Música de Castelo de Paiva.

Entre atores profissionais e amadores, depois de dezenas de horas de ensaios em horas pós laborais e fins de semana, o produto final vai ser hoje exibido ao ar livre. O cenário é o Largo do Conde, mas é na escadaria da Igreja Matriz de Sobrado que as cenas principais decorrem.

Ontem, já se ultimavam os pormenores, e o entusiasmo era espelhado no rosto dos intervenientes naquele que seria um dos últimos ensaios. “Temos aqui gente de todas as idades, vindas de todos os cantos do concelho, e de todos os níveis de escolaridade. E muitos têm efetivamente jeito para isto”, disse Gonçalo Rocha, presidente da câmara, que tem assistido e participado no projeto.

Por esse motivo, o autarca e a organização afirmaram que as expectativas para esta noite “estão em alta”, tendo em conta o exemplo do que foi a primeira edição da Bienal em 2017. “Aumentamos de 300 para 500 figurante. Confesso que a minha única preocupação é mesmo a capacidade para albergar tanta gente no Lago do Conde esta noite”, disse o autarca local.

Nesse sentido, o presidente da câmara endereçou um pedido aos interessado em visualizarem este momento, que afirma que será maravilhoso: “Jantem cedo e vão cedo para a vila. Estacionem nos lugares apropriados para evitarem confusões e movimentem-se durante o espetáculo que será multidisciplinar e com vários momentos em diversos locais no Largo do Conde”.

Ensaio final para o grande teatro de amanhã Payva D’Ouro

Publicado por Gonçalo Rocha em Quinta-feira, 18 de julho de 2019

1 comentário

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

  • Alexandrina Amorim
    19 Julho, 2019, 21:30

    Muito mágica esta Bienal da Cultura. Queria muito vivenciar in loco. Parabéns aos criadores e aos participantes…

    REPLY