Penafiel: Padre Micael Silva vai celebrar a primeira missa e “realizar um sonho de menino”

Penafiel: Padre Micael Silva vai celebrar a primeira missa e “realizar um sonho de menino”

Micael Silva vai celebrar a Missa Nova este sábado, na paróquia de São Martinho de Recezinhos, em Penafiel.

Há 20 anos (tinha Micael Silva apenas seis) estava no coro da igreja a fazer soar a sua voz na Missa Nova do padre Mário Henrique Melo, da paróquia de São Martinho de Recezinhos, em Penafiel. Já nesta altura, Micael Silva sabia qual era o seu maior sonho: celebrar também ele a missa na sua paróquia.

Este sábado, dia 20 de julho, Micael Silva vai ver o seu sonho realizado. Após uma longa caminhada pela sua formação, o jovem de 26 anos vai celebrar a primeira missa da sua vida.

No dia 14 de julho, foi ordenado sacerdote na Sé do Porto. “Estou num turbilhão de sentimentos”, começou por dizer em declarações ao Jornal A VERDADE. Micael Silva vai iniciar uma nova fase da sua vida sábado e, com isso, há todo um mundo desconhecido à sua espera, a par das cerca de mil pessoas que vão estar na paróquia prontas para o receber.

Fotografia: Diocese do Porto

“Estou ansioso com esta etapa da minha vida, mas feliz. É uma nova fase, tendo em conta que até aqui estive a colaborar com a paróquia de Santa Maria da Feira, mas que me deixa ansioso e com espírito de novidade”, confessou, a dois dias da missa.

Sábado, será o culminar de um percurso pautado pelo esforço, que começou logo na sua adolescência. Micael Silva deixou a saias da mãe e o abraço apertado do pai aos 14 anos, quando o Padre Barros o convidou para integrar o Seminário.

“Foi uma fase difícil. Tive de fazer tudo sozinho, sem o apoio dos pais. É como ir para a faculdade, só que numa fase ainda mais precoce, na adolescência”, salientou. Mas com a força dos pais, com a fé, e com o apoio dos colegas, Micael conseguiu seguir a sua caminhada, que hoje vê cumprir.

Fotografia: Diocese do Porto

Nunca lhe passou outra profissão pela cabeça a não ser padre, por isso sabia que tinha de lutar com todas as suas forças, e aguentar as saudades. A família sempre o apoiou, até porque foi, em parte, responsável pela ambição de Micael.

“Eles eram pessoas da Igreja. O meu avô era de Tabuado, em Marco de Canaveses, colaborava com a igreja daí, até vir para Penafiel, onde continuou a colaborar e a arrastar-me com ele. O meu avô foi um exemplo para mim”, disse.

Por esse motivo, Micael Silva não hesitou em responder à pergunta “quem não poderia faltar sábado à sua missa”. Com um sorriso no rosto, “os meus pais e familiares”, ouviu-se, seguido dos elementos das paróquias por onde passou e, claro, os colegas do seminário.

“Ter cerca de 350 pessoas vindas de Santa Maria da Feira de autocarro para assistir à minha missa é muito especial. É o confirmar de que fiz algo de bem feito enquanto lá estive”, disse.

O jovem está ansioso pelo momento e feliz por ter chegado aqui. “Só peço a Deus que me dê forças para honrar esta nova etapa”, concluiu.

Fotografia: Diocese do Porto

1 comentário

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

  • SILVA
    19 Julho, 2019, 14:54

    VAI HAVER TACHO?

    REPLY