Ralicross Paredes é candidato a integrar o Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy 2020

Ralicross Paredes é candidato a integrar o Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy 2020

O passado fim de semana foi especial para os aficionados de corridas motorizadas, já que puderam assistir ao Ralicross Paredes no Kartódromo de Baltar. No sábado e domingo, dias 13 e 14 de julho, foram várias as categorias disputadas nesta competição, que é candidata a integrar o Campeonato de Portugal de Ralicross, Kartcross e Super Buggy 2020.

No primeiro dia do evento, cuja organização esteve a cargo do Clube TT Trilhos do Norte, coube ao kartcross dar o tiro de partida. Já depois de terem corrido taco-a-taco nos treinos cronometrados, João Ribeiro e Mauro Reis levaram a mesma competitividade para a final, na qual o primeiro se sagrou vencedor por uma margem reduzida. Pedro Marques fechou o pódio.

A jogar em casa, João Ribeiro optou por alinhar em Kartcross, visto que o Citroen Saxo S1600 com que ganhou dois campeonatos e lidera o atual não ficou pronto a tempo da prova, após o acidente sofrido no Ralicross de Mação. Por isso mesmo, o paredense aventurou-se na sua primeira experiência no Kartcross, que dificilmente podia ter corrido melhor: “lá fui eu sem qualquer treino ou experiência. As primeiras voltas foram uma adrenalina diferente, mas depois lá apanhei algum jeito e consegui vencer, para surpresa minha”, referiu João Ribeiro.

Na categoria de Iniciação, o estreante Jorge Rego, ao volante de um Peugeot 106, triunfou perante André Monteiro (Toyota Corolla) na final, já depois de ter dominado nas corridas de qualificação.

Já em Ralicross – Nacional (2RM), Adão Pinto (Opel Astra) foi primeiro classificado, seguido de José Queirós (Peugeot 106) e de Paulo Sousa (BMW E30), respetivamente.

Na classe Ralicross – Super 1600, Joaquim Pacheco (Citroen C2 S1600) conquistou a vitória, com André Sousa (Peugeot 207 S1600) a ficar com a ‘prata’. Na final, o vencedor beneficiou dos problemas mecânicos de André Sousa, que tinha ganho as quatro corridas de qualificação.

Tiago Ferreira (Peugeot 106) fez o pleno de vitórias na Ralicross – Nacional A1.6, tendo Jorge Costela e Hélder Silva (ambos num Citroen Saxo) ocupado, por esta ordem, os restantes lugares do pódio.

Por último, na classe Super Cars e Nac. 4WD, os Subaru Impreza de Daniel Pacheco e José Lourenço lutaram pela vitória, sem que tenha havido ‘fumo branco’ quanto ao vencedor. Apesar de Daniel Pacheco ter ganho todas as corridas de qualificação, a final terminou com bandeira vermelha, na sequência de um toque entre os dois veículos. Segundo decisão do Colégio de Comissários Desportivos, houve comportamento antidesportivo, o que motivou desclassificações de ambos os pilotos.

No domingo, para além de mais corridas de qualificação e das finais, houve ainda demonstrações de camião racing levadas a cabo pela Team Reboconor.

Fotos: Ricardo Soares

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta