Publicidade

banner-baiao-festas-700x259

António Capelo promete em homenagem fomentar cultura em Castelo de Paiva

António Capelo promete em homenagem fomentar cultura em Castelo de Paiva

A Câmara Municipal de Castelo de Paiva distinguiu ontem, dia 14 de julho, o ator António Capelo com a Medalha de Mérito Municipal – Grau Ouro.

A atribuição da medalha simboliza o reconhecimento da autarquia face ao seu percurso profissional na área do teatro, cinema e televisão, não só nacional mas internacional.

Além disso, Gonçalo Rocha, presidente da câmara local, fez questão de mencionar que António Capelo tem feito “um excelente trabalho cultural em prol da sua terra, trazendo muito do que aprendeu para terras paivenses e para as suas gentes”.

A entrega da medalha deu-se na escadaria da Igreja Matriz de Sobrado, pelo facto de “ser um local que coloca todos nós mais próximos das estrelas, e António Capelo é também uma estrela. Não podia ser em local melhor”, explicou o autarca local. Nas palavras do presidente da câmara não faltaram elogios e emoção ao enaltecer “o expoente na cultura portuguesa”.

António Capelo nasceu “num tempo em que não era fácil”, em que se vivia da extração mineira do Pejão, junto ao Douro. Depois de 9 anos de contacto com essa realidade, “levou as sementes para lançar a um novo ramo, no qual se saiu com grande sabedoria e qualidade”, tal como frisou Gonçalo Rocha aquando da homenagem.

Pela sua ligação ao Pejão, local onde nasceu, a Banda de Música do Pejão levou o seu quarteto de saxofones a atuar nesta homenagem. Emocionado, com alguns dos seus familiares, entre eles as suas sobrinhas netas a assistirem ao momento, António Capelo tomou da palavra.

“Somos camadas sobre camadas. Imagens sobre imagens. Somos uma súmula de emoções e corremos afanosamente no sentido de com tudo isso constituir o ser. O nosso ser. Por tudo isto Castelo de Paiva obrigatoriamente no meu coração. Pedorido antes de mais é o meu lugar de vida, lugar onde se nasce e onde se pousa o corpo para fundi-lo com a terra”, disse.

Por essa razão, António Capelo afirmou que de tudo vai fazer, em todas as horas que a vida lhe permitir, fomentar a cultura no povo paivense. E, no que consiste aos projetos já implementados, disse que a comunidade tem participado de forma ativa, mostrando-se agrado com isso.

Também o Diretor Regional da Cultura do Norte, António Ponte, marcou presença na homenagem, enaltecendo o trabalho de António Capelo, não só como ator nacional, mas também pelo trabalho que tem desenvolvido em Castelo de Paiva na área cultural.

“A Bienal da Cultura é um exemplo disso. A cultura é importante na medida em que nós podemos afirmar a nossa personalidade, a nossa identidade, com base num conjunto de características identitárias próprias e que nos permitem ser diferentes sem que com isso sejamos hostis”, disse.

Recorde-se que António Capelo é um dos mentores de um dos momentos mais aguardados da Bienal da Cultura, que também arrancou ontem no município, que está agendado para dia 19 de julho, com o espetáculo “Payva D’Ouro”.

Trata-se de uma encenação que vai envolver 500 pessoas, nomeadamente do Teatro do Bolhão, em parceria com população local e em articulação com entidades da terra. O tema deste ano é “O Rio, a Terra e as Gentes”  a ter lugar no Largo do Conde, com um evento teatral e multidisciplinar de larga escala.

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta