Jornalistas e influenciadores digitais partilham vídeos promocionais do Baixo Tâmega

Jornalistas e influenciadores digitais partilham vídeos promocionais do Baixo Tâmega

Entre os dias 31 de maio e 1 de junho, um grupo de jornalistas e influenciadores digitais portugueses, brasileiros e dinamarqueses realizaram uma visita à serra da Aboboreira e território envolvente. A iniciativa foi levada a cabo pela Associação de Municípios do Baixo Tâmega, no âmbito de um projeto de promoção à serra da Aboboreira.

Durante três dias, os visitantes puderam conhecer algumas das principais referências culturais, vinícolas e gastronómicas da região, que abrange os concelhos de Amarante, Marco de Canaveses e Baião, os rios Douro e Tâmega e ainda as serras da Aboboreira, Alvão e Marão.

A ação resultou numa série de vídeos promocionais do território, os quais pode visualizar ao longo deste artigo, tal como este que se segue.

No primeiro dia, o Hotel Monverde, em Amarante, foi palco da receção de boas-vindas à comitiva, que participou numa prova de vinhos da Quinta da Lixa, guiada pelo enólogo Carlos Teixeira. Para acompanhar o vinho verde, seguiu-se um jantar no Restaurante Zé da Calçada, localizado no centro histórico de Amarante, onde puderam degustar o famoso bacalhau da casa.

Após uma noite de repouso no Hotel Monverde, os visitantes passearam pela cidade amarantina, tendo efetuado o roteiro Amadeo de Souza-Cardoso, elaborado pela empresa de turismo local Inside Experiences. Para além das ruas da histórica metrópole, visitaram o museu municipal, o Convento de S. Gonçalo e terminaram na Confeitaria da Ponte, onde puderam provar os caraterísticos doces conventuais.

Depois do aperitivo servido nas margens do Tâmega, foi o Douro a servir de pano de fundo para o almoço. No Restaurante de Tormes, em Baião, o chef António Queiróz Pinto, finalista da competição nacional Chef Cozinheiro do Ano 2019, serviu aos convidados o mítico arroz de favas com frango alourado, prato imortalizado na obra A Cidade e as Serras, de Eça de Queiroz.

A visita à fundação do romancista português, situada no mesmo local, foi o programa seguinte, onde puderam contemplar alguns artefactos utilizados pelo autor do século XIX.

Como não podia deixar de ser, o vinho verde voltou a estar em destaque na agenda, desta feita na Quinta de Covela. Ali, para além das paisagens ímpares de uma propriedade histórica, o grupo pôde provar vinhos das castas Arinto e Avesso, tendo esta última a particularidade de só crescer no concelho de Baião.

Seguiu-se uma paragem na Capela do Senhor do Bom Despacho, em Ancede, a qual serviu de palco para uma peça de teatro.

A serra da Aboboreira, epicentro do Baixo Tâmega, foi a paragem seguinte. Lá do alto do Miradouro da Senhora da Guia, localizado junto à Capela da Nossa Senhora da Guia, a comitiva deslumbrou-se com as vistas ímpares sobre os três concelhos do território: Amarante, Baião e Marco de Canaveses. Uma vez percorridos o Trilho dos Dólmens, os visitantes puderam experienciar um piquenique serrano, composto por enchidos, presunto, vinho verde, mel do Marão e o biscoito da Teixeira.

Foi também no coração da serra que foi servido o jantar, mais propriamente na Tasquinha do Fumo. Ali, puderam degustar do mais tradicional que a gastronomia da região pode oferecer: vitela arouquesa assada na brasa, iguaria confecionada em potes de barro e panelas de ferro mergulhadas no lume.

No final de um dia em cheio, foi tempo de, ainda em Baião recuperar forças no Douro Royal Valley Hotel & SPA, no qual a célebre piscina infinita constitui o spot ideal para vislumbrar o Douro ali tão perto.

O terceiro e último dia da iniciativa, que começou com um mergulho na referida piscina, foi passado em Marco de Canaveses. O anho assado com arroz do forno e o leite creme servido no Restaurante Ponte de Pedra foi acompanhado pela apresentação do sommelier da Guapos Wine Projet, Vítor Mendes, que falou sobre casamentos entre a gastronomia e os vinhos.

Já de barriga cheia, o grupo foi visitar a Igreja de Santa Maria, referência arquitetónica da região, da autoria de Siza Vieira.

Por fim, fazendo jus à fama de “terras de sabores”, o roteiro terminou com a degustação das Fatias do Freixo na Casa dos Lenteirões, localizada entre o rio Tâmega e a cidade romana de Tongobriga. Com quase 200 anos de história, a casa é especialista na produção daquele ícone da doçaria regional, que outrora serviu de banquete ao rei D. Luís I.

O vídeo que se segue trata-se do resumo de toda a visita descrita anteriormente.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta