EPAMAC vai lecionar em Penafiel para ajudar jovens no seu percurso no mundo rural

EPAMAC vai lecionar em Penafiel para ajudar jovens no seu percurso no mundo rural

Penafiel vai passar a ter ensino profissional lecionado pela Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses (EPAMAC), a partir do próximo ano letivo.

Os novos cursos resultam de uma parceria efetuada entre a escola e a Confraria do Presunto e da Cebola do Tâmega e Sousa, que havia lançado o repto para a deslocalização de um curso para a sua sede, na localidade de Marecos.

Esta quarta-feira foi formalizado o protocolo entre as entidades, que envolveu ainda o Município de Penafiel, a Escola Secundária de Penafiel e o Agrupamento de Escolas Joaquim de Araújo, que irão colaborar no transporte e na cedência de equipamentos para complementar os cursos de Técnico de Controlo de Qualidade Alimentar e Técnico de Produção Agropecuária.

O protocolo permitirá ainda que os alunos desenvolvam vários projetos de certificação de produtos endógenos, nos quais a Confraria a EPAMAC estão já envolvidos.

“A EPAMAC já ultrapassou a municipalidade, tendo em conta que recebe alunos de 40 concelhos do país”, referiu a este propósito o diretor da EPAMAC, Pedro Martins. Por isso, “faz todo o sentido vir até Penafiel, uma vez que temos uma parceria de longa data com a Confraria do Presunto e da Cebola”.

Os cursos são acessíveis a todos os jovens e a EPAMAC vai continuar a ter toda a responsabilidade – desde a criação do curso até à certificação dos alunos, indicou o diretor.

A Escola Secundaria de Penafiel e o Agrupamento de Escolas Joaquim de Araújo são as escolas locais que vão ver, no próximo ano letivo, esta nova turma emergir. Prevê-se que entre em funcionamento meia turma do Curso Técnico de Produção Agropecuária e meia turma do Curso Técnico de Controlo de Qualidade Alimentar, ambos com a duração de três anos letivos.

“A proposta é que com os dois cursos atinjamos uma turma completa. As condições são asseguradas dentro do protocolo entre as várias entidades e, por isso, esperamos que haja alunos suficientes para podermos arrancar já em setembro para o ano letivo 2019/2020”, assinalou Pedro Martins.

Para o Grão Mestre da Confraria do Presunto e da Cebola,  Joaquim Barros Ferreira, “é um orgulho ver consolidado o trabalho que se vinha a arrastar há três anos e que agora vamos ver a funcionar”, indicando que os alunos que vão integrar esta turma vão realizar, por exemplo, um estudo ao fumeiro tradicional de Vale do Sousa e Baixo Tâmega, “de modo a que seja trabalhado e que a qualidade seja aumentada”.

Para o grão-mestre, “é importante dotar os jovens para a agricultura, se não um dia vamos querer comer e vamos comer tudo plastificado e é importante estes cursos porque eles ajudam-nos a ter produtos com qualidade, é uma mais-valia ter uma turma na área do presunto e da cebola”.

Em Penafiel há uma presença forte da atividade agrícola, como do vinho verde, salientou por sua vez o presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino de Sousa. “Há a fragilidade de não termos ensino profissional direcionado para o mundo rural”, constatou.

Com este protocolo, segundo o autarca, “vai ser possível colmatar esta lacuna. A EPAMAC tem um trabalho muito prestigiante e vai partilhar com os penafidelenses o seu currículo com os cursos que vão trazer para cá. É um momento positivo ver esta sede da confraria, que era uma escola que fechou portas por falta de alunos, voltar a ter alunos e ter a atividade para qual foi construída”, concluiu.

dav

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta