Publicidade

banner-festas-do-marco-2019-700x394
Banner-Expomontemuro-2019-700x315

Carrilho Belo: a arte de transformar um campo de milho no ganha pão de 40 famílias

Carrilho Belo: a arte de transformar um campo de milho no ganha pão de 40 famílias

A Câmara Municipal de Baião atribuiu em março de 2019, a Álvaro Carrilho Belo, a medalha de mérito empresarial pelo seu papel preponderante na promoção do desenvolvimento económico e social do município, reforço do tecido empresarial e aumento do emprego, através da empresa Indumeca, que completou, em 2018, 40 anos de existência.

Mas afinal quem é este homem que lidera uma das maiores empresas baionenses, reconhecida por ser um exemplo de gestão e uma referência de qualidade na indústria metalúrgica e metalomecânica portuguesa? Estivemos à conversa com Álvaro Carrilho Belo.

Recebeu-nos no seu escritório na Rua do Soutulho, local onde a Indumeca se situa há 41 anos, espaço que foi em tempos um campo de milho perdido “no meio do nada”. A visão privilegiada sobre a fábrica dá-lhe o controle de tudo, desde o processo de produção, às entradas e saídas de colaboradores ou camiões. Não há computador na sua mesa porque não tem tempo “para a informática”. Prefere escrever e desenhar à mão. Adora desenhar.

Álvaro Carrilho Belo tem 72 anos e é alentejano. Engenheiro de formação, nasceu em Povoa e Meadas e vive em Baião há 44 anos. Chega ao concelho depois de casar com Dozinda Belo, natural de Ancede, com quem teve duas filhas: Inês e Paula Belo. As três seguiram-lhe as pisadas e, embora sejam hoje o seu braço direito na empresa, as decisões mais importantes continuam a vir de si. Como de si dependem quase meia centena de colaboradores por quem tem “o máximo respeito e consideração”.

A sua passagem por Lisboa e Angola, antes de chegar a Baião, moldou-lhe “o gosto pela indústria” e despertou-lhe a “veia empresarial”.  Devido a isso, aos 31 anos, viu em Baião a sua oportunidade e arriscou. “Estávamos em 1978 e naquela altura era tudo mais difícil. A empresa era uma novidade num concelho predominantemente rural. Os juros rondavam os 30%. Se não fosse o presidente da câmara da altura, o Sr. Abel Ribeiro, que me facilitou a implementação da empresa e o seu licenciamento, teria sérias dificuldades para levar o meu projeto avante”.

O administrador admite, ao recuar até à década de 70, que “não foi fácil vencer a interioridade. A distância e o estado das vias de comunicação que separavam Baião do Porto – então o principal pólo de fornecedores e clientes –, era por si só um obstáculo a vencer e que requeria grande coordenação dos meios de transporte para minimizar os respetivos custos. A rarefação de pessoal qualificado e a falta de hábitos de trabalho na indústria foram outros dois grandes obstáculos a vencer. Com cabeça, tudo se foi conseguindo”.

4 décadas de atividade, dignas de grandes aplausos

A Indumeca começou por produzir mobiliário técnico para a indústria e ao longo dos anos foi criando novos produtos “indo ao encontro das necessidades permanentes do mercado”. Hoje em dia, a empresa é líder na produção de mobiliário de escritório, mobiliário escolar e mobiliário para farmácias. 45 pessoas trabalham diariamente na Indumeca e, por norma, os colaboradores ficam por lá muitos anos, “porque são respeitados e se sentem bem”. A contratação de novos colaboradores é sempre acompanhada de investimento em equipamento moderno e em formação, “que é obrigatória”, uma vez que a maior parte da maquinaria usada na produção  “é robotizada”.

No setor fabril trabalha apenas uma mulher, “cujas funções exerce tão bem, ou melhor, que os homens”, e diversos colaboradores jovens, que alinham com outros mais antigos na empresa, “daqueles que acertam na espessura de uma folha de alumínio sem a medir”. Todos os trabalhadores da empresa “são de Baião” e a formação “é feita aqui”. A Indumeca é hoje, “não podemos esquecer”, parte integrante do concelho de Baião. “Foi uma empresa inovadora há 41 anos num concelho onde a indústria não existia. Tenho plena consciência de que, neste momento, a empresa também cumpre uma função social muito importante na região”.

Visibilidade nacional e internacional

No decorrer dos anos, a Indumeca tem revelado uma “extraordinária ambição, respirando saúde financeira e pujança empresarial”. Este reconhecimento ultrapassa as fronteiras portuguesas. O percurso trilhado durante os últimos 40 anos tem dado à empresa muita visibilidade. A nível nacional, a Indumeca é reconhecida por ser uma empresa “altamente competitiva, que abrange todo o território nacional”. Ao nível internacional, a empresa exporta há quase 30 anos e “continua empenhada na internacionalização”. França, Espanha, Alemanha e Angola acumulam encomendas e, de lá, chegam “elogios todos os dias à qualidade e perfeição do material fabricado”. Os seus produtos estão certificados segundo as normas europeias.

Equipamento de topo coloca empresa entre as melhores

O crescimento da empresa “foi lento, mas sólido e sustentado”.  Com investimentos devidamente calculados e feitos nos momentos próprios, a empresa iniciou a fase do sucesso que ainda hoje prossegue quando há 30 anos incorporou tecnologia de comando numérico em algumas das suas máquinas, a “grande paixão” de Carrilho Belo. Alguns destes equipamentos de topo foram desenhados por si e os maiores especialistas na construção e montagem deste material tiveram em conta os seus desenhos na altura de produzir as máquinas. “A robótica apaixona-me. Gosto de olhar para uma máquina e perceber como é que a posso transformar, de forma a que ela se torne mais rápida e mais produtiva”, conta o administrador. É precisamente “a alta tecnologia e a flexibilidade do equipamento, não esquecendo a qualificação do pessoal, que fazem com que a Indumeca seja uma das melhores empresas do setor”.

Quando lhe perguntamos que conselhos deixa aos mais jovens que por agora se aventuram no mundo empresarial, responde perentoriamente: “é preciso trabalhar muito, sermos sérios, perspetivar o futuro e os mercados, ter os pés assentes na terra e estar nos negócios com ética. É esse o segredo”, remata.

Crescimento notável a cada ano

A solidez financeira da empresa tem merecido o reconhecimento do IAPMEI que a tem distinguido desde 1994 com os estatutos de PME Líder e PME Excelência.

Em 2017, a empresa registou um crescimento que merece destaque, tendo aumentado 21% o seu volume de vendas. Em simultâneo, as exportações continuam igualmente a crescer, uma vez que, no exercício de 2017, mais de 30% das suas vendas tiveram como destino vários países da União Europeia.

450 é o número, já ultrapassado, de farmácias em Portugal equipadas com material produzido na Indumeca. Os seus produtos continuam a equipar muitas farmácias em Espanha, França e Alemanha.

Prémio Norte Empreendedor Carreira

São vários os prémios que Álvaro Carrilho Belo tem recebido ao longo da sua carreira. Em maio de 2018 o empresário foi galardoado na Exponor pelo Centro Empresarial Tâmega e Sousa, com o prémio “Norte Empreendedor Carreira” e confessou-se “emocionado”.

Susana Ferrador
CONTRIBUTOR
PERFIL

Publicidade

Banner-Festival-Francesinha-Felgueiras-700x446

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta