FC Porto foi campeão europeu e nacional de juniores com jovem do Marco nas fileiras

FC Porto foi campeão europeu e nacional de juniores com jovem do Marco nas fileiras

Ao contrário do que se verificou com a equipa sénior, os juniores do FC Porto terminaram a época com a conquista de títulos de relevo: a Youth League (competição equivalente à Liga dos Campeões daquele escalão), com uma vitória sobre o Chelsea em abril, e o 23º Campeonato Nacional, obtido na última jornada após o triunfo diante do Sp. Braga.

Entre os campeões nacionais e europeus do FC Porto encontra-se Paulo Moreira. O médio natural da freguesia de Paredes de Viadores e Manhucelos, em Marco de Canaveses, concedeu uma entrevista ao Jornal A VERDADE, na qual abordou as duas importantes conquistas obtidas esta temporada.

“É algo histórico, bastante díficil de se conquistar, e este ano estivemos o privilégio de conseguir esse feito. É algo épico, que vai ficar sempre no teu currículo, e na história do clube”, começa por dizer o marcoense em relação à Youth League.

Já no que concerne ao título de campeão nacional, Paulo refere que foi uma conquista que também se revelou “bastante difícil” e que exigiu “muito trabalho e sacrifício”. E, seja quais forem os troféus que o médio venha a arrecadar ao longo da sua carreira enquanto futebolista, este terá sempre um sabor especial: “vai ser sempre o meu primeiro campeonato!”

Aos 19 anos, é justo dizer que a aventura de Paulo Moreira no mundo do desporto-rei está ainda no início. Porém, guarda já uma série de boas memórias vividas na pele de futebolista. A melhor, foi quando envergou pela primeira vez as cores da Seleção Nacional, então com 15 anos. “Aquele sentimento que sonhas em criança, vestir aquela camisola, defender o teu país, é uma sensação incrível”, descreveu.

Outro dos momentos que o marcoense recorda com prazer foi a transferência para o FC Porto e, em particular, a assinatura do primeiro contrato profissional, que aconteceu quando tinha 16 anos: “é a primeira grande conquista para um jovem futebolista”, afirmou.

O jogo que impulsionou a ida de Paulo para a Invicta, numa altura em que ainda representava o Marco 09, ocorreu em 2011. O adversário era o Gondomar e a partida assumia contornos decisivos, uma vez que, quem vencesse, sagrava-se campeão de série.

O Marco 09 venceu por 2-1, com o jovem de Manhucelos a ter um papel preponderante: marcou os dois golos da vitória e assinou uma exibição de gala, convencendo assim o olheiro do FC Porto presente nas bancadas a recomendar a sua contratação ao clube “azul e branco”.

A forma como as duas partes encetaram o primeiro contacto é digna de uma anedota, que Paulo nos conta com uma postura digna de um humorista. Ora veja:

No final da partida, um membro do ‘scouting’ dirige-se a meu pai e pergunta-lhe:

-O senhor é que é o pai do número ’10’?

O meu pai, confuso, responde:

-’10’? Eu não sei qual é o seu número, é capaz de ser esse!

Ao que olheiro replica:

-Aqueles senhores ali é que me disseram que você era o pai do número ’10’!

Nesse momento, estou eu a sair do balneário, e aí o meu pai vê-me e grita:

-Oh moço, tu és o número ’10’??

E eu, surpreendido, respondi:

-Sou, porquê?

Soltaram-se logo as gargalhadas de todos, pois o nosso primeiro contacto com um clube de grande dimensão aconteceu num tom cómico. Ainda hoje nos rimos acerca desse episódio. O que é que terá pensado o senhor do ‘scouting’ naquele momento?!?

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta