Empresários franceses do setor têxtil procuram na região aliados contra a concorrência asiática

Empresários franceses do setor têxtil procuram na região aliados contra a concorrência asiática

Na passada quarta-feira, dia 5 de junho, um grupo de empresários franceses do setor têxtil visitou algumas empresas ligadas ao mesmo setor na região do Tâmega e Sousa, em particular nos municípios de Amarante, Baião, Marco de Canaveses, Penafiel, Lousada e Paços de Ferreira. A iniciativa realizou-se no âmbito do protocolo estabelecido entre a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) e a Câmara do Comércio e Indústria Franco-Portuguesa.

Depois das visitas às unidades fabris, a comitiva francesa foi recebida na Quinta da Aveleda, onde o evento terminou com uma degustação de vinhos e um jantar final.

A liderar o grupo visitante esteve Marie de Bragelongne, representante da Câmara do Comércio e Indústria Franco-Portuguesa, sediada em Paris. A responsável afirmou que esta deslocação de empresários franceses a território nacional teve por objetivo “permitir a descoberta da indústria têxtil do Norte de Portugal e medir melhor as mais valias das empresas portuguesas na produção dos têxteis, tanto dos fios como da confeção de vestuário”.

Visita a uma unidade fabril em Marco de Canaveses

Marie de Bragelongne está convicta de que “os empresários regressaram a França com uma visão diferente de Portugal”, país que, garante, vêem agora “como um parceiro comercial e industrial”. Para ajudar a selar essas parcerias, Marie de Bragelongne vai procurar dar continuidade à “captação de investimentos para Portugal”, bem como à “internacionalização das empresas portuguesas em França”.

Entre a comitiva estrangeira encontrava-se Yves Dufief, presidente da Union des Industries Textiles, que se mostrou esperançoso de que a região do Tâmega e Sousa venha a ser “um bom local para fazer negócio”.

Esse mesmo território deixou o vice-presidente da associação, Norbert Blanc, “muito impressionado”. O dirigente referiu ter como objetivo futuro para a Union des Industries Textiles “partilhar conhecimentos, tecnologias e construir uma parceria em termos de vendas e produção com empresas portuguesas” como forma de se “tornar mais forte contra a competição asiática”.

Yves Dufief e Norbert Blanc

Na qualidade de anfitrião da iniciativa, Telmo Pinto, diretor executivo da CIM do Tâmega e Sousa, destacou a importância desta ação para “mostrar o território, as empresas, o produto e a forma de o produzir”. “As palavras são importantes, mas ver ‘in loco’ dá outros resultados”, garantiu.

Telmo Pinto revelou que a vinda do grupo de empresários franceses à região teve como intuito “visitar boas empresas, com grande capacidade de exportação que tivessem a qualidade como base do seu trabalho”. Destacou ainda que “os empresários que aqui estiveram não tinham noção que temos empresas a produzir com tanta qualidade para o mercado internacional, pelo que vêem nestas empresas uma grande oportunidade. Querem empresas que primem pela qualidade, mas também pelos direitos dos trabalhadores”, assegurou.

O diretor executivo da CIM do Tâmega e Sousa acredita que, a longo prazo, as parcerias resultantes desta iniciativa vão “criar mais riqueza no território, mais oportunidades e, acima de tudo, dar mais riqueza às pessoas que cá vivem e trabalham”.

Joaquim Guimarães, da empresa Crucineli, em Amarante

Uma das empresas visitadas pela comitiva francesa foi a Crucineli, sediada em Amarante. Joaquim Guimarães espera que esta iniciativa lhe traga “mais contactos e novos conhecimentos” a fim de garantir mais opções no que concerne à escolha dos parceiros comerciais. “Os contactos nunca são demais. Um cliente pode, a qualquer momento, não aguentar a carga e nós temos de ter sempre outro para ocupar o lugar”, referiu.

Empresa Salgado & Neto, em Lousada

Também a empresa Salgado & Neto, de Lousada, foi incluída na visita, algo que deixou Sónia Neto satisfeita, já que a totalidade da produção da empresa que representa se destina à exportação. Por isso mesmo, as entidades representadas na iniciativa afiguraram-se-lhe como “opções interessantes”. “A vinda dos empresários demonstra interesse e a nossa porta está aberta”, garantiu.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.