Marcador de Livros: Magníficos Estranhos

Marcador de Livros: Magníficos Estranhos

 Artigo de MARIA MANUEL MAGALHÃES

Título: Magníficos Estranhos
Autor: Elizabeth Klehfoth
Editor: Casa das Letras

N.º de Páginas: 464

Sinopse: 
Num magnífico dia de verão, Grace Fairchild, a belíssima mulher do magnata do Mercado imobiliário, Alistair Calloway, desaparece da casa de campo da família sem deixar rasto, deixando para trás a filha de sete anos, Charlie, e uma série de perguntas sem resposta.

Anos mais tarde, Charlie continua a lutar com a obscura herança do nome da sua família e o mistério em torno do desaparecimento da mãe. Decidida a, finalmente, pôr o passado por trás das costas, Charlie mergulha na vida escolar de Knollwood, a prestigiada escola de Nova Inglaterra que frequenta, e rapidamente se integra entre a elite da escola.

Charlie foi igualmente escolhida pelo A, a sociedade secreta de elite da escola, conhecida por aterrorizar a faculdade, a administração e os seus inimigos. Pars se tornar membro da mesma, Charlie terá de participar no Jogo, uma caça ao tesouro de alto risco, durante um semestre inteiro, que comprometerá as suas amizades, a sua reputação e até o seu lugar em Knollwood.

À medida que os acontecimentos do passado e do presente convergem, Charlie começa a temer que poderá não sobreviver à terrível verdade sobre a sua família e colocar a sua vida em risco.

A opinião:

Fiquei rendida a este livro logo pela sinopse. Apesar de ser um livro YA (Young Adult) como thriller funciona extremamente bem.

Magníficos Estranhos tem como personagem principal a jovem Charlie, uma rapariga forte, pertencente à classe alta, mas cuja mãe, desaparecida quando ela tinha sete anos, continua a ser um mistério.

Apesar ter ficado curiosa em saber o que se passou com a mãe, Charlie adapta-se cada vez melhor na vida escolar de Knollwood, uma escola de elite em que só estão os melhores, ou melhor, os que têm capacidade monetária para a frequentar. Prestes a entrar numa sociedade secreta dentro da comunidade escolar, Charlie vai ser posta à prova e terá de fazer uma série de jogos para ser aceite.
A cada desafio vamo-nos apercebendo que a sociedade secreta é muito poderosa e cheia de truques para se “desafazer” daqueles que se atravessam à sua frente. Uma sociedade típica de um grupinho de jovens adolescentes que se acham superiores a tudo.

O tema da sociedade não traz nada de novo à história, até porque se torna recorrente neste tipo de livros, mas o mistério da vida de Charlie prendeu-me desde o início. A sinopse revela um pouco do que poderá ter acontecido na noite em que a mãe de Charlie desapareceu, mas ao mesmo tempo, acabou por me induzir em erro, o que se tornou ainda mais surpreendente.

Gostei imenso da forma como Elizabeth Klehfoth conduziu a história e como criou cada uma das personagens. E as interligações com o passado foram na dose certa de forma a dar informação ao leitor a cada virar de página, mas ao mesmo tempo fazer com que não desconfiasse logo do tema fulcral da história, do que se passou naquela noite.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta