Crianças de Marco de Canaveses aprenderam a “salvar” vidas com os seus brinquedos

Crianças de Marco de Canaveses aprenderam a “salvar” vidas com os seus brinquedos

Atentos e curiosos, alegres e participativos. Foi assim que encontramos os meninos do Jardim de Infância dos Murteirados, em Marco de Canaveses, na receção às enfermeiras do serviço de urgência pediátrica do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, para a formação ‘As tuas mãos salvam vidas’.

A digressão destes profissionais de saúde começou há um ano, com o arranque na Semana do Enfermeiro do CHTS em maio de 2018. Até este dia já levaram a formação a cerca de 1300 alunos e o objetivo é chegar a mais 400 até ao final do ano letivo.

O Jardim de Infância dos Murteirados foi o primeiro, no concelho de Marco de Canaveses, a receber esta iniciativa. Numa roda composta por crianças dos três aos seis anos, educadoras, auxiliares e, claro, as quatro enfermeiras do CHTS, foi explicado como as crianças podem salvar uma vida.

Os doentes? Eram os seus bonecos que cada um trouxe de casa e o objetivo dos pequenos era salvar esses bonecos. A formação começou com um pequeno vídeo onde as crianças iniciaram a interação com as manobras de suporte básico de vida. Após a formação teórica, passam para a prática com uma música.

“Uma vez encontrei uma pessoa caída”, marca o início da melodia que é acompanhada por coreografia, tudo envolvendo os brinquedos. Depois de explicarem os procedimentos, incluindo a chamada para o 112, as crianças “praticam” as manobras nos seus bonecos, tudo ao ritmo da música.

Ilda Nunes, Rosa Ribeiro, Cátia Silva e Luciana Cunha foram as quatro enfermeiras que levaram a formação às crianças marcoenses. Ao Jornal A VERDADE, a profissional de saúde Ilda Nunes, explicou que esta atividade é baseada num projeto espanhol. “Eles fizeram um estudo, que indica que quando há formação em determinadas idades, o conhecimento é adquirido mais facilmente”, referiu.

De acordo com a enfermeira, os conhecimentos transmitidos às crianças “tem de ser de forma lúdica e adaptada ao desenvolvimento deles”, garantindo que “as crianças são muito recetivas. Todos adoram”.

Além dos conhecimentos retidos, a passagem da informação para os pais também é vista como fundamental pelos enfermeiros envolvidos neste projeto. “Eles levam para casa e descrevem o que aconteceu e acreditamos que isso é uma mais-valia para todos”, apontou a enfermeira, acrescentando que “há mais sucesso nesta faixa etária do que na faixa etária mais velha”.

Presente e a participar na atividade esteve também a educadora de infância Mariana Félix, que destacou a importância desta atividade. “Eles aprendem a salvar uma vida. Esta forma lúdica de os ensinar é espetacular”, enalteceu.

Para a professora, o facto de levaram os ensinamentos para casa “é uma forma de passar a informação. A escola promove, os meninos descobrem e aplicam para depois levarem aos pais”.

Esta forma lúdica de levar os conceitos básicos de suporte imediato de vida, já percorreu os concelhos de Penafiel, Paredes e Paços de Ferreira. Chegou agora ao Marco de Canaveses, tendo em vista abranger toda a área de influência do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa.

 

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.