Publicidade

banner-baiao-festas-700x259

Saúde para Todos: Glaucoma – o ladrão silencioso

Saúde para Todos: Glaucoma – o ladrão silencioso

O glaucoma é uma doença ocular progressiva, mais frequente após os 40 anos de idade, e que, sem tratamento, pode levar à perda da visão. Afeta cerca de 2% da população pelo que, em Portugal, estima-se que haja 200.000 doentes de glaucoma, nem todos estando diagnosticados.

É a segunda causa mais frequente de cegueira em todo o mundo, a seguir às cataratas, embora se verifique uma diferença significativa entre estas duas patologias: o doente cego por catarata, sendo operado, tem boas possibilidades de recuperar a visão; a cegueira por glaucoma é definitiva e irreversível.

Nesta doença ocorre uma lesão do nervo óptico (o “fio elétrico” que transporta a imagem do olho até ao cérebro). Na maioria dos casos há um aumento da tensão ocular (pressão dentro do olho), mas há também casos de glaucoma com tensão ocular normal.

Trata-se de uma doença que é silenciosa (não dá qualquer sintoma), sendo por vezes apelidada de “ladrão silencioso”. Tem uma evolução lenta, por vezes durante anos, e o diagnóstico só pode ser feito pelo médico oftalmologista. Há também casos de glaucoma em recém-nascidos (glaucoma congénito), embora tal seja raro.

Quando o diagnóstico é atempado e o doente cumpre a terapêutica (geralmente aplicação de gotas para baixar a tensão ocular), conserva-se a visão e a qualidade de vida. O mesmo não acontece, infelizmente, quando o diagnóstico é tardio ou o doente não cumpre o tratamento, à semelhança do que sucede noutras doenças crónicas.

Para fazer o diagnóstico, o médico avalia diversos parâmetros: a tensão ocular, o fundo do olho (visualizando o nervo óptico por fundoscopia) e, muitas vezes, recorrendo a meios complementares de diagnóstico. A medição da tensão ocular, quando efetuada em estabelecimentos comerciais de óptica, não é suficiente para o diagnóstico ou para a exclusão da patologia.

A grande maioria dos doentes só necessita de tratamento médico – aplicação de colírios. No entanto, há casos que precisam de outros tratamentos – laserterapia ou mesmo cirurgia de glaucoma.

Em jeito de conclusão, um apelo: se tem 40 anos de idade ou mais, visite regularmente o seu oftalmologista! O glaucoma, quando diagnosticado e tratado a tempo, permite conservar a visão.

14

Dr. Nuno Pontinha

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta