Marco de Canaveses: I Encontro de Educação do Tâmega e Sousa debateu a educação inclusiva

Marco de Canaveses: I Encontro de Educação do Tâmega e Sousa debateu a educação inclusiva

A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) organizou esta sexta-feira, dia 12 de abril, o I Encontro de Educação do Tâmega e Sousa.

Subordinado ao tema “Educação inclusiva: Um novo paradigma da escola”, este evento aconteceu no Auditório do Centro Paroquial da Igreja de Santa Maria, em Marco de Canaveses, e integra o projeto TâmegaSousa Educa [acreditamos em ti], provido pela CIM do Tâmega e Sousa em estreita articulação com os municípios, as escolas e agentes educativos deste território.

Telmo Pinto, secretário-geral da CIM do Tâmega e Sousa, explicou que o tema desta sessão centra-se no facto de, cada vez mais, “as escolas terem de integrar todos os alunos na sua diversidade e têm de trabalhar em função das necessidades de cada aluno para obter melhores resultados”.

Durante o dia foram debatidas várias metodologias sobre este tema para que, de acordo com o secretário-geral, a educação do Tâmega e Sousa tenha “boas práticas para tornar a escola mais inclusiva e acima de tudo, com mais sucesso”, esperando que “a comunidade tenha cada vez mais objetivos claros para obter cada vez mais resultados”.

Com uma forte adesão, a organização teve “alguma dificuldade” para responder aos pedidos solicitados. “Tivemos cerca de 300 inscrições de todos os municípios da comunidade intermunicipal”, garantindo que “serão realizadas outras iniciativas neste âmbito e que as pessoas que não estiveram presentes neste primeiro encontro, serão convocadas para participar noutros seminários”.

Por sua vez, Cristina Vieira, presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses recordou que, com a nova legislação, “os professores e diretores dos agrupamentos têm um desafio muito grande na educação” onde todos são incluídos. “Todos têm capacidades para aprender, para desenvolver outras aptidões que não só as educativas e formativas”, recordnado também a importância das aptidões “sociais”.

De acordo com a autarca, haverá a necessidade de “rever o funcionamento das escolas no sentido de definir os projetos educativos”, destacando a importância do Plano Integrado de Combate ao Insucesso Escolar, levado a cabo pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa.

Para Cristina Vieira, o principal objetivo desta sessão é que os participantes “levem ferramentas capazes de os ajudar a desenvolver o sucesso educativo”.

O painel da manhã contou com as intervenções do Delegado Regional de Educação da Região Norte da DGEstE – Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e da Diretora de Serviços de Educação Especial e Apoios Socioeducativos da Direção-Geral de Educação. Seguiram-se quatro workshops temáticos, que decorreram em simultâneo, orientados pelo presidente do Conselho Científico-Pedagógico de Formação Contínua e por docentes da Universidade Católica Portuguesa, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e da Pró-Inclusão – Associação Nacional de Docentes de Educação Especial.

A tarde foi conduzida por representantes do PNPSE – Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar, da CCDR-N – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e do CFAE MarcoCinfães – Centro de Formação de Associação de Escolas dos Concelhos de Marco de Canaveses e Cinfães. Os comentários às conclusões dos workshops da manhã estiveram a cargo do diretor da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti.

banner-felgueiras-600x229

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.