Alunos de Baião ficaram a conhecer como os daltónicos veem o mundo

Alunos de Baião ficaram a conhecer como os daltónicos veem o mundo

No passado dia 28 de março, cerca de 120 alunos, dos três agrupamentos escolares concelhios juntaram-se no Centro Escolar de Baião para se submeterem ao teste de despiste do daltonismo. A iniciativa contou com a presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Baião, que foi acompanhado por Manuel Alvarenga, coordenador do setor.

Esta é uma iniciativa da autoria da Coloradd Social, à qual a autarquia baionense  se associou, e tem o objetivo de implementar um sistema de identificação de cores que facilite a integração social e independência dos daltónicos nas situações em que a opção e escolha da cor é relevante, bem como na minimização do sentimento de perda gerada pela deficiência.

Os alunos participaram, numa primeira fase, numa ação de sensibilização sobre o daltonismo, onde lhes foi dado a conhecer os constrangimentos que o problema do daltonismo acarreta na qualidade de vida dos seus portadores, ficando ainda a conhecer os diferentes tipos de daltonismo.

Na segunda fase, foi feito um rastreio do daltonismo, com o objetivo de contribuir para o diagnóstico precoce e encaminhamento para serviços de especialidade, bem como a obtenção de dados estatísticos atualizados sobre a população daltónica a nível nacional. Com o rastreio, que complementa as palestras e onde o teste de cores teve papel relevante, pretendeu-se verificar até que ponto esta doença, passando muitas vezes despercebida na fase inicial ao próprio doente, está a prejudicar alguns alunos da escola.

O rastreio visual contou com o apoio dos alunos do curso profissional de Ótica da Escola Secundária de Baião.

No final as crianças receberam um kit com material escolar contendo um caderno com atividades, um conjunto de lápis de cor identificados com o código ColorADD e uma mochila colorida, material oferecido pela autarquia baionense.

José Pinho Silva recordou que esta iniciativa “permite que muitas pessoas passem a ter melhores condições de vida, como a simples facilidade de escolher a roupa que vão vestir”.

“Este é um projeto revolucionário que dá mais um passo na criação melhores condições de educação no município. E se assim é, nós, que estamos ao nível dos melhores no que concerne à educação, não podíamos deixar o projeto passar ao lado dos nossos alunos”, concluiu o autarca.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.