“Ovos, farinha e açúcar”, sem segredo, a Casa Guedes em Baião mantém receita do Pão de Ló

“Ovos, farinha e açúcar”, sem segredo, a Casa Guedes em Baião mantém receita do Pão de Ló

Do centro da vila de Baião sai um Pão de Ló tradicional que poucos lhe resistem nesta altura da Páscoa.

Mila Guedes é quem o produz há mais de 25 anos, mas há 40 que o Café Guedes o tem como um dos principais doces tradicionais. De quarta a sábado antes de Páscoa são centenas os Pão de Ló que são encomendados. Mas semanas antes há já quem não resista a este bolo que acompanha com chá e também que liga bem ao presunto. E esse não falta por terras baionenses.

A receita essa tem longevidade e Mila Guedes diz que o segredo “está na cozedura”. Açúcar, ovos e farinha ou “ovos, farinha e açúcar” assume, bem-disposta, a mulher que admite que seria mais fácil e lucrativo “fazer o pão de ló de forma industrial. No entanto, eu não deixo a receita tradicional e faço com ovos, farinha, açúcar e coze em formas de barro”.

O sabor esse Mila Guedes diz que os clientes não resistem. “O nosso pão de ló não é muito seco, tem o sabor natural dos ovos, e o segredo é provar para comprovar”, garantiu.

Mas na Páscoa há mais a adornar a mesa. Se o pão de ló está no centro, à volta encontram-se as fatias, as cavacas, a torta de laranja, o bolo de ovos e amêndoa e o bolo da casa “Sebastiões”.

Todos eles seguem a regra máxima de Mila Guedes. “Ovos, farinha e amêndoa”, são os ingredientes chave para a doçaria confecionada pela anfitriã do Café Guedes. “Os nossos Sebastiões não podem faltar na mesa, é certo que durante todo o ano ele está disponível, mas ninguém resiste e na mesa de Páscoa é presença obrigatória”, adianta.

Um bolo criado pela proprietária com a ajuda da professora da escola primária. “A minha professora guarda receitas muito antigas e vai partilhando comigo. Tinha desgosto de Baião não ter doces mais requintados, então quis criar esta receita, e tem resultado muito bem”, contou Mila Guedes que deu o nome de “Sebastiões” pelo facto de estarem ao lado da capela de S. Sebastião. “É uma espécie de homenagem ao nosso santo”, afirmou.

As fatias são especificas da casa e Mila Guedes não gosta que associem a outras conhecidas porque “nem são iguais às de Resende nem às do Freixo, são as nossas”, e garante que são “muito boas”.

A Torta de Laranja, que embeleza a mesa e faz os mais céticos salivar, não tem farinha e as laranjas são “caseiras”, do laranjal da família, assume Mila Guedes.

À mesa de Páscoa fica apenas a faltar os “irresistíveis brigadeiros, receita da casa, e as castanhas de ovos”, conclui a proprietária orgulhosa pelos seus doces tradicionais.

Se nesta altura da Páscoa não resiste a estes sabores, o Café Guedes, bem no centro da vila de Baião tem para encomenda estas atrativas doçarias.

Publireportagem

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta