Falta de recursos humanos preocupa Bombeiros Voluntários de Resende

Falta de recursos humanos preocupa Bombeiros Voluntários de Resende

Fundada a 15 de março de 1950, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Resende comemorou este mês o seu 69º aniversário.

Membro da associação há 16 anos e atual presidente, Joaquim Alves relata com agrado a evolução das condições do quartel desde a sua chegada. “Quando entrei, a associação tinha défice de viaturas e o quartel era obsoleto. Através de uma candidatura, as infraestruturas foram melhoradas e alargadas e adquirimos várias viaturas. Hoje, temos um parque automóvel invejável”, garantiu.

Contudo, se o quartel está bem servido no que a viaturas diz respeito, o mesmo não acontece no que concerne a recursos humanos, dado que contar com o apoio de bombeiros não-remunerados constitui um desafio cada vez maior. “Neste momento, o maior desafio são os recursos humanos. Cada vez é mais difícil arranjar voluntários. No futuro, vai ser muito complicado gerir esta situação”, revelou com pesar.

Com esta preocupação em mente, Joaquim Alves deixa um apelo a que mais pessoas adiram a esta causa “muito nobre”. “O espírito de bombeiro é defender as pessoas sem qualquer contrapartida. É sempre positivo e motivador ser-se bombeiro, mesmo que não seja remunerado”, assegurou.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.