Celebrou-se Baião recordando a história do passado e homenageando o presente

Celebrou-se Baião recordando a história do passado e homenageando o presente

24 de março de 1066 é a data do documento mais antigo e recuperado, assinado por Rei Garcia, filho de Fernando Magno, Rei de Leão e Castela, que fala pela primeira vez das terras que hoje denominamos de Baião.

Foi por este documento que António Lima, arqueólogo, justificou a escolha do dia 24 de março para assinalar o dia do município de Baião e que a manhã deste sábado, 23 de março, deu inicio às comemorações, no salão nobre dos Paços do Concelho.

Presente na cerimónia estiveram representantes das associações e entidades de Baião, homenageados deste dia do município, presidentes de junta do concelho e o executivo liderado por Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal.

Por impossibilidade profissional, José Luís Carneiro, presidente da Assembleia Municipal de Baião, e atual Secretario de Estado das Comunidades Portuguesas, presidiu a celebração o primeiro secretário da Assembleia Municipal, Armando Fonseca.

José Luís Carneiro está em Moçambique a liderar uma equipa de avaliação de prejuízos humanos e materiais por forma a ajudar a fazer chegar ajuda externa e apoiar a população que ficou devastada com o ciclone Idai. Por essa impossibilidade, enviou uma mensagem emotiva aos baionenses, destacando o tanto que a terra tem dado. “Terra de gente boa e simples, que tem mel, que tem pão, que tem vinho, tem artesanato e que tem tanto que podemos confiar no futuro”, lembrou, realçando o dia importante do município para “agradecer a todos e reconhecer o esforço e dedicação que levam Baião tão mais longe”, concluiu a mensagem enviada pelo presidente da Assembleia Municipal de Baião.

Já da parte da tarde, Paulo Pereira, presidente do município afirmou aproveitar o dia do município para poder “homenagear e distinguir um conjunto de entidades e personalidades que são exemplos de trabalho e esforço que se destacam e nos enchem de orgulho”.

Na cerimónia, no mosteiro de Santo André, em Ancede, vários funcionários da autarquia com 25 anos de trabalho e funcionários com mais de 35 anos de casa receberam a medalha de mérito municipal, bem como a Cooperativa Agrícola de Baião e a Cooperativa Dolmen que em segmentos diferentes atuam no concelho há 25 anos.

No que toca a individualidades várias foram as áreas abrangidas, desde a cultura, investigação, desporto e proteção civil.

Para Paulo Pereira este dia do município serve acima de tudo para “puxar pela nossa história, pela nossa cultura e pelo nosso orgulho em ser baionense”, concluiu o presidente da Câmara Municipal visivelmente satisfeito pela cerimónia que contou com a música da Banda Musical da Casa do Povo de Santa Marinha do Zêzere e da Banda Marcial de Ancede.

 

 

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta