Ministro do Ambiente considera ‘justíssima’ manifestação climática dos mais jovens

Ministro do Ambiente considera ‘justíssima’ manifestação climática dos mais jovens

“A causa dos nossos jovens é justíssima”, afirmou o ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Matos Fernandes, sobre os grupos de jovens que saíram hoje à rua para protestar contra a falta de ação dos Governos perante as alterações climáticas.

As declarações do governante foram proferidas durante a inauguração de uma Unidade Autónoma de Gás Natural, na tarde desta sexta-feira, em Baião.

João Matos Fernandes recordou que os jovens estão a discutir, “e muito bem, as preocupações que têm com as alterações climáticas”, recordando que este assunto também se centra na energia. “O setor electroprodutor é um dos setores que mais tem de evoluir e, de uma maneira geral, toda a energia e todo o consumo que fazemos tem de ser cada vez mais eficiente”, sublinhou.

De acordo com o ministro do Ambiente, é fundamental pensar na “eficiência energética”, porque garante que é desta forma que se reduzirão “as emissões que tanto preocupam os jovens”.

O governante recordou também que Portugal “é o primeiro país do mundo que vai ser neutro em carbono, no ano de 2050” tendo sido concluído, em dois anos, o Roteiro de Neutralidade Carbónica que foi apresentado esta quinta-feira, dia 14 de março, durante a assembleia das Nações Unidas para o Ambiente.

Jovens de todo o país juntaram-se à causa da jovem sueca Grata Thunberg que, em agosto de 2018, iniciou o movimento “FridayForFuture” e que rapidamente se alastrou por todo o mundo. Esta sexta-feira, o protesto foi global com milhões de jovens a faltarem às aulas para reclamar contra a inércia dos Governos face às alterações climáticas.

Na região do Tâmega e Sousa, crianças e jovens de Baião e de Marco de Canaveses concentraram-se junto às respetivas Câmara Municipais para recordarem a necessidade de agir. “O que nós queremos? Queremos um futuro! O que é que não há? Não há Planeta B”, era uma das frases mais ouvidas nas manifestações, às quais se juntaram vários cartazes alusivos aos protestos.

Vitor Almeida
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.