PSP deixa aviso para os perigos do desafio da internet Momo

PSP deixa aviso para os perigos do desafio da internet Momo

Nas últimas semanas, tem-se gerado um alerta para com a Momo, uma figura sinistra que incita a comportamentos suicidas nas redes sociais. Esta representação apresenta-se com a imagem de uma escultura de uma mulher-pássaro, que esteve exposta numa galeria japonesa em 2016.

Em declarações ao Expresso, João Moura, comissário da PSP, explica que a Momo consiste numa “figura assustadora para os mais jovens, que os coage e manipula psicologicamente através, primeiro, da rede WhatsApp e os leva a fazer um conjunto de desafios perigosos para a integridade física e, no limite, levam ao suicídio”.

Esta controversa prática teve início no verão passado, período em que o desafio surgiu relacionado com casos de suicídio de crianças de vários países, com especial foco na América Latina. A PSP afirma não ter qualquer registo de casos deste género em Portugal, mas dá nota de um ocorrido em França, que deixou em alerta as autoridades nacionais. “Hoje em dia, com o mundo digital, uma ameaça, seja na Inglaterra, nos EUA ou na Nova Zelândia, é uma ameaça cá em Portugal”, referiu o comissário.

Confrontada com este cenário, a PSP lançou então um alerta nas redes sociais e começou a acompanhar de perto o fenómeno, tendo-se deparado por diversas vezes com a imagem da Momo associada a diferentes números de telefone, até mesmo portugueses. “Dá-se um efeito bola de neve e, seja por brincadeira, seja por mimetismo, seja um hacker ou não”, começam a aparecer seguidores deste fenómeno, que, segundo João Moura, “ameaçam e coagem” as vítimas.

A polémica voltou a estar em foco nas últimas semanas, após terem surgido no Reino Unido denúncias de pais, que garantiram ter visto imagens da Momo em vídeos disponibilizados na plataforma Youtube Kids. Foram também relatados aparecimentos desta macabra figura em jogos online, em particular no “Fortnite”, um dos mais populares na internet a nível mundial.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.