Baião: Medula que salvará Filipe Mota provém de uma dadora portuguesa

Baião: Medula que salvará Filipe Mota provém de uma dadora portuguesa

Neste último ano, a vida de Filipe Mota tem sido uma montanha russa de emoções. Em abril de 2018, foi-lhe diagnosticada aplasia medular, doença que só conseguia ser debelada através de uma transfusão de medula óssea.

Nos meses que se seguiram, decorreram várias iniciativas no concelho de Baião, de onde Filipe é natural, a fim de obter recolhas de sangue e incentivar os cidadãos a inscreverem-se como possíveis dadores de medula. Entretanto, o morador do lugar do Ingilde recebia semanalmente uma transfusão de sangue e plaquetas, que, apesar de positivas para a sua saúde, o afetavam a nível físico e psicológico.

A espera prosseguiu até ao início deste mês, altura em que a notícia pela qual Filipe mais ansiava surgiu finalmente: foi encontrado um dador de medula compatível. Agora, vieram a público os únicos detalhes relativos a essa pessoa conhecidos até à data: é portuguesa e reside na zona sul do país.

Através das redes sociais, a família de Filipe agradeceu à benfeitora, manifestando a vontade de o vir a fazer um dia pessoalmente. “Um dia, gostaríamos de lhe agradecer por dar um bocadinho dela para devolver a saúde ao Filipe. Mas fica pelo menos, aqui, um agradecimento do fundo do coração da nossa parte e desejo que a vida lhe sorria sempre”.

Em conversa com A VERDADE, Filipe Mota emocionou-se ao recordar o dia em que recebeu a boa nova. “A notícia significou muito para mim, nem tenho palavras para descrever isso”. O baionense não esquece os muitos doentes que enfrentam ainda a situação de espera que ele próprio vivenciou, pelo que deixa um apelo para que mais pessoas se inscrevam como possíveis dadores de medula óssea. “Aconselho toda a gente que possam dar sangue e medula que não desistam, porque o processo não é doloroso. É uma coisa simples, mas que pode salvar uma vida”, finalizou.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.