Publicidade

banner-festas-do-marco-2019-700x394
Banner-Expomontemuro-2019-700x315

Empresas do Tâmega e Sousa entre as mais exportadoras do norte de Portugal

Empresas do Tâmega e Sousa entre as mais exportadoras do norte de Portugal

A conjuntura económica, nomeadamente a deterioração da economia e do comércio mundial, têm tido repercussões no que concerne ao panorama exportador do Norte de Portugal. As tensões e conflitos comerciais das grandes potencias, das quais se destacam os EUA e a China, aliada à eminência do Brexit, estão a motivar uma desaceleração comercial internacional que já se começa a fazer sentir na região do Tâmega e Sousa, que engloba algumas das principais empresas exportadoras do norte do país.

A previsão está refletida no relatório recém publicado NORTE ESTRUTURA, vocacionado para a análise de tendências de médio e longo prazo da Região do Norte no contexto nacional. Deste relatório, sobressai a existência de potências exportadoras na região do Tâmega e Sousa.

Metade do valor exportado em 2016 correspondia a mercadorias exportadas por empresas da região norte, das quais se destacam, no Tâmega e Sousa, Felgueiras, Lousada, Penafiel e Paços de Ferreira. Na faixa atlântica, Felgueiras, Lousada e Penafiel formam um contínuo territorial no que respeita aos principais locais onde existem as empresas mais exportadoras da região norte. Dos principais produtos exportados encontra-se o vinho, o têxtil e o vestuário.

No último relatório, publicado em janeiro de 2019, verifica-se um decréscimo do impacto das exportações nestes municípios. Só Lousada conseguiu aumentar, ainda que ligeiramente, o volume de exportações.

No entanto, o abrandamento do volume das exportações e a ligeira deterioração dos termos de trocas oriundos da região norte de Portugal, aliada à estagnação da quota das exportações face ao total do comércio mundial, são já uma realidade. A região tinha vindo a manifestar um aumento destes indicadores no mercado até 2016 mas, desde o ano 2017, que a tendência está a decrescer de forma acentuada. Tal facto tem sido justificado pela conjuntura económica mundial.

“Em 2017, o crescimento do valor das exportações de bens do Norte foi inferior ao observado para o total das exportações de bens nacionais, ao contrário do que sucedera nos três anos anteriores”, tal como se pode ler no mais recente relatório do NORTE ESTRUTURA.

Publicidade

Banner-Festival-Francesinha-Felgueiras-700x446

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta