Associação de Municípios do Baixo Tâmega faz balanço positivo de 2018

Associação de Municípios do Baixo Tâmega faz balanço positivo de 2018

Da Associação de Municípios do Baixo Tâmega (AMBT) fazem parte os municípios de Amarante, Baião, Celorico de Basto e, mais recentemente, Marco de Canaveses. Em parceria com o Município de Resende, procura desenvolver um conjunto de atividades, ações e obras nesta sub-região, no âmbito da conservação e salvaguarda dos monumentos e na prossecução de projetos de turismo de natureza e da enogastronomia.

No que concerne ao ano de 2018, o principal destaque é o reingresso do município do Marco de Canaveses, três anos depois da sua saída. A inclusão foi formalizada na reunião de Assembleia Intermunicipal, realizada, precisamente, nesse município, no dia 21 de dezembro. Paulo Pereira, presidente da AMBT, descreve esta adesão como tendo “particular importância para esta Associação, potenciando o trabalho conjunto no território, em áreas comuns, como a promoção dos produtos endógenos, do património natural e cultural”.

Em comunicado, a AMBT afirma ter como principal objetivo “o desenvolvimento regional, estruturando a sua ação em torno de importantes áreas”. 

Na área do Património Cultural, destaca-se a continuidade do Projeto da Rota do Românico, com um investimento aprovado de cerca de 1,25 milhões de euros destinado a intervenções em diversos pontos turísticos da região, ao desenvolvimento de estudos e à manutenção de monumentos.

Na área do turismo, prosseguiu-se com as ações aprovadas na candidatura Gestão Ativa do Património Natural da Serra da Aboboreira. Esse projeto, dotado de 325 mil euros, tem como duplo objetivo “afirmar a Serra da Aboboreira como um relevante polo de atração turística e constituir-se como apoio para a criação da Área Protegida Regional da Serra da Aboboreira, que se pretende finalizada em 2019”, refere o comunicado.

É ainda destacada a parceria entre a AMBT e a Associação Empresarial de Amarante (AEA) a fim de implementar o BT Inova. Este projeto pretende a “criação de uma Rota Enogastronómica na região, estando já agendadas as ações de capacitação para os setores da restauração, alojamento, enoturismo e animação turística”.

Por fim, é manifestada a possibilidade de, “num futuro próximo”, novos municípios aderirem à associação, “prova manifesta do seu contributo para a região, conferindo uma maior escala ao nível da sua atuação”.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.