Trail Run Summit: Chef Hélio Loureiro vem a Penafiel dar a receita para o sucesso desportivo

Trail Run Summit: Chef Hélio Loureiro vem a Penafiel dar a receita para o sucesso desportivo

Foi aos vinte anos que Hélio Loureiro, um jovem cozinheiro acabado de se formar na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto, ingressou no restaurante “Zé da Calçada”, em Amarante, cidade com a qual criou uma empatia especial. Essa experiência “muito interessante” naquele que afirma ser um “restaurante de referência da região” foi o começo de uma carreira recheada de sucessos. Agora, trinta e cinco anos depois, Hélio vem a Penafiel para participar no Trail Run Summit, onde irá explicar a importância da nutrição no desporto.

E Hélio conhece como poucos o tema de que vem falar. Afinal, foi chefe de cozinha do FC Porto durante três anos e, a partir de 1996, integrou a comitiva da Seleção Nacional de futebol em vários Europeus e Mundiais, tendo ainda sido responsável pela seleção dos cozinheiros que integram atualmente as diferentes seleções nos vários escalões.

Foi ao serviço do clube da Invicta que começou a crescer-lhe o apetite pelo estudo da nutrição. “Inicialmente, a preocupação era supervisionar para que não houvesse nenhum transtorno alimentar. Depois, comecei a investigar e a perceber que uma alimentação mais cuidada afetava o desempenho dos atletas. Eles gostavam sempre de pedir carne e o primeiro grande combate foi explicar-lhes que as carnes vermelhas eram inimigas do seu bom desempenho enquanto futebolistas. Demorou quase vinte anos para que as carnes brancas se fixassem na alimentação dos atletas de alta competição”, refere.

Mais tarde, seguiu de malas aviadas para diferentes pontos do globo a fim de confecionar as ementas da Seleção Nacional ao longo de várias provas internacionais. Nos estágios, havia a preocupação de “adaptar um pouco a alimentação dos jogadores aos locais onde estávamos”, apesar de trazer sempre na bagagem algumas iguarias da cozinha tradicional portuguesa – “mas sempre seguindo uma alimentação regrada e equilibrada”, assegura. Ainda assim, para celebrar as vitórias, quando não havia jogos nos dois dias seguintes, presenteava sempre o plantel com “algumas guloseimas e até vinho do Porto”.

Distinguido pelo Estado português com o grau de Oficial da Ordem de Mérito, Hélio Loureiro desvendou-nos um pouco do que pretende abordar no próximo domingo, no seminário “Nutrição no Trail”. “As pessoas têm de se lembrar que não é só a alimentação do dia anterior conta, mas sim a que é feita ao longo de um determinado tempo. A alimentação dos três dias antes das competições é essencial. É impossível um atleta de alta competição não ter cuidado com o que come”, revela.

Relativamente ao dito que defende que “a alimentação representa setenta porcento do ginásio”, o chef natural de Cedofeita diz concordar “sem dúvida alguma”. No entanto, apesar de aplaudir a crescente preocupação da sociedade com os hábitos alimentares, deixa o alerta relativamente à origem dos produtos consumidos. “Infelizmente, vão aparecendo também produtos não-saudáveis que enganam as pessoas. Alimentos saudáveis são alimentos que a natureza nos dá em estado puro”, esclarece, para finalizar.

Texto: José Rocha / Fotos: Facebook

Vitor Almeida
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.