Saúde: Cuidados médicos que devemos ter no inverno

Saúde: Cuidados médicos que devemos ter no inverno

Com a chegada do inverno ficamos expostos ao frio intenso, o que pode causar efeitos negativos na saúde, como o aparecimento de infeções respiratórias, gripe e agravamento das doenças crónicas, principalmente cardíacas e respiratórias.

Segundo a Direção Geral de Saúde, o fundamental nesta estação é manter-se quente e hidratado.

Antes de um período de frio deve-se verificar se os equipamentos de aquecimento estão a funcionar, o estado de limpeza da lareira e chaminé, isolar bem as portas e janelas e estar atento às previsões meteorológicas.

Durante o período de frio a casa deve ser mantida a uma temperatura entre 18ºC e os 21ºC. Se não conseguir aquecer todas as divisões, aqueça a sala de estar durante o dia e o quarto durante a noite. Verifique as condições de ventilação se usar aparelhos que acumulam gases nocivos como lareiras, salamandras, braseiras ou aquecedores a gás. Evitar dormir ou descansar muito perto das fontes de calor e não esquecer de as desligar antes de se deitar ou sair de casa. Cuidado com as botijas de água quente que podem provocar queimaduras.

Deve ter atenção ao vestuário e cuidados pessoais. A pele deve estar bem hidratada, principalmente as mãos, pés, cara e lábios. Usar várias camadas de roupa em vez de uma única muito grossa e não usar roupa apertada que dificulte a circulação. Proteger as extremidades do corpo usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol.

Deve fazer uma alimentação variada e saudável evitando alimentos frios, ricos em gordura ou açúcar e bebidas alcoólicas. Faça refeições mais frequentes dando preferência a sopas e bebidas quentes e aumente o consumo de alimentos ricos em vitaminas, sais minerais e antioxidantes (como legumes e frutas) que ajudam a minimizar o aparecimento de infeções.

As atividades e exercício no exterior devem ser mantidas, mas usando proteção adequada, doseando o esforço, evitando roupa transpirada no corpo e aumentando a ingestão de água pelo risco de desidratação.

Algumas pessoas são mais vulneráveis e devem tomar a vacina da gripe:  indivíduos com mais de 65 anos; residentes em lares ou instituições comunitárias; prestadores de cuidados de saúde; grávidas; sem abrigo; pessoas que sofram de: doenças crónicas pulmonares, cardíacas, renais, hepáticas, diabetes e outras (deve consultar o seu médico se dúvidas).

A gripe é uma doença contagiosa e que geralmente se cura de forma espontânea com repouso e hidratação. Quando necessário o tratamento farmacológico é feito com medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos e anti-piréticos, que devem ser prescritos pelo médico. As complicações, quando surgem, ocorrem sobretudo nos grupos vulneráveis. A melhor maneira de tratar é prevenir com a vacinação.

A vacina é segura. As reações adversas são localizadas e transitórias. Dor, vermelhidão e ligeiro inchaço no local da picada são os principais efeitos secundários. Estes problemas desaparecem passado pouco tempo.

Assim sendo prepare-se, vacine-se, se tiver indicação, e tenha um inverno cheio de saúde!

Por: Dr. João Bernardes

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.