Paços de Ferreira: Formador que atingiu Carla Amorim pensava que pistola estava descarregada

Paços de Ferreira: Formador que atingiu Carla Amorim pensava que pistola estava descarregada

A reconstituição da formação de tiro que vitimou Carla Amorim, uma guarda-prisional, no passado dia 6 de novembro em Paços de Ferreira, já foi lavada a cabo pela Polícia Judiciária (PJ).

Recorde-se que Carla Amorim perdeu a vida após ser baleada no peito por um formador de tiro, durante a carreira de tiro organizada pela Direção-Geral dos Serviços Prisionais.

A guarda-prisional, natural de Mesão Frio mas a residir em Baião, colocou-se em fila, com outros formandos, enquanto era explicado o módulo sobre condições de segurança da pistola 9mm HK, quando recebeu a pistola com o cano virado para ela.

O guarda principal Oliveira, do Grupo de Intervenção e Segurança Prisional (GISP) terá pensado que a arma estava descarregada e premiu o gatilho, tendo atingido Carla Amorim no peito, com a única bala que restava na pistola. A guarda-prisional ainda foi assistida no local pelos meios de socorro, no entanto não resistiu aos ferimentos.

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta