Marco de Canaveses: Cristina Vieira destaca ‘o desafio da arquitetura’ na Bienal da Pedra

Marco de Canaveses: Cristina Vieira destaca ‘o desafio da arquitetura’ na Bienal da Pedra

Caros marcuenses, 

É com grande satisfação que assinalamos a Bienal da Pedra 2018, na freguesia de Alpendorada, Várzea e Torrão, terra por excelência deste produto que celebramos, o granito. Junto à margem do rio Tâmega, no Parque de Lazer de Alpendorada, realizar-se-á a 6ª edição deste evento e chegados a esta fase da sua concretização, este novo Executivo Municipal decidiu que era o momento de renovar a ideia subjacente à sua criação, contribuindo para o seu crescimento, afirmação e desenvolvimento desta forte indústria do concelho.

De forma a podermos compreender melhor a dimensão deste setor, apresento alguns dados de 2015, relativos à região norte. Nesse ano, que reflete ainda a recuperação económica do país e especialmente do setor da construção, a produção da região foi de 11.356.560 toneladas, correspondentes a 103 milhões de euros. Na dimensão do emprego são 2201 postos de trabalho, cerca de 40% dos postos de trabalho de todo o país no setor.

O foco desta nova edição e formato  da Bienal da Pedra é a arquitetura, enquanto expressão do uso que pode ser dado à pedra e, designadamente, ao granito de Alpendorada. Em articulação com os parceiros deste setor – empresários, Junta de Freguesia, ANIET – Associação Nacional da Indústria Extrativa e Transformadora, Confraria do Granito e Associação Empresarial do Marco – decidiu-se pela aposta na mais-valia que os arquitetos podem trazer à indústria da pedra, permitindo ao setor a melhor inserção num mercado internacional que procura diferenciação e qualidade, e onde os empresários marcuenses já estão presentes, competem e são referência.

Cristina Vieira-Bienal da Pedra-020

Recentemente participei numa feira internacional do setor da pedra, em Verona, Itália, acompanhando os empresários do nosso concelho naquele que é o maior certame do mundo na área dos granitos e pedras ornamentais. Juntamente com o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, pude comprovar o bom acolhimento das nossas empresas por parte dos clientes internacionais, mas também perceber melhor as suas necessidades, expetativas e a dimensão económica à volta deste negócio tão importante para o concelho. 

Uma palavra de apreço para os nossos empresários da extração, comercialização e transformação do granito e à sua atitude empreendedora. Uma vez mais estiveram nesta feira internacional numa presença muito forte. Depois de vencidos os desafios da criação das suas empresas com muito trabalho e dedicação, de fazer com que crescessem sustentáveis, competitivas e dinâmicas, procuram agora os novos desafios da competitividade internacional, levando as novas gerações a acompanhar estes desafios.

De salientar que a presença portuguesa nesta feira internacional, a maior do mundo na área, era a quarta mais representada, depois de Itália, China e Turquia, o que demonstra bem a relevância desta área de negócios no conjunto da economia nacional. 

Regressada, posso confirmar que o modelo escolhido para a Bienal da Pedra 2018 está no caminho certo. A aposta na arquitetura vai de encontro às melhores práticas do mundo e responde às necessidades dos clientes e do mercado. 

Nesta edição da Bienal da Pedra teremos a presença da conceituada arquiteta brasileira Carla Juaçaba que, entre outros trabalhos, participou na Bienal de Veneza, numa obra para o Vaticano, juntamente com Eduardo Souto Moura. A arquiteta Carla Juaçaba virá conhecer o concelho, o setor marcuense da indústria da pedra, falará sobre os seus desafios e apresentará após a vinda ao Marco de Canaveses um projeto que marque o concelho e sirva de referência a esta articulação entre a arquitetura e indústria.

O desafio é afirmar este evento como referência no setor no nosso país e no mercado internacional. O nosso propósito, contribuir para a resolução dos problemas e desafios próprios desta indústria. 

Convido-os a participar e a visitar este certame, feito pelos marcuenses para projetar e promover esta indústria tão importante para o Marco de Canaveses.

Texto da autoria de Cristina Vieira, Presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses

1 comentário
A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.