Especial Saúde: Farmácia do Marco aposta na prevenção das gripes e constipações

Especial Saúde: Farmácia do Marco aposta na prevenção das gripes e constipações

Publireportagem

Farmácia do Marco está implementada há cinco anos no centro da cidade do Marco de Canaveses. Com uma equipa jovem e dinâmica, preparada para o aconselhamento e dispensa de medicamentos, congrega ainda vários outros serviços de saúde como a dermo cosmética para homem e mulher, a saúde animal, a nutrição, parâmetros bioquímicos (medição colesterol, glicémia, etc.), os rastreios e sessões de esclarecimento, nomeadamente para grávidas.

É uma farmácia central e com um horário alargado (8h30 – 22h00), facto que o diretor técnico, Luís Rocha, destaca como “vantajoso para o cliente”. Segundo o mesmo, a sua equipa é “sorridente” o que considera importante para criar empatia com o cliente, fazendo com que este “perceba o bom ambiente da equipa desta casa e se sinta parte dela”.

Para Luís Rocha “o farmacêutico é o primeiro profissional de saúde a ser procurado”, e por isso é importante apostar na formação contínua da equipa, com vista à prestação de um atendimento de excelência, criando condições para um relacionamento de confiança e segurança junto do cliente.

Ao longo do ano, a Farmácia do Marco promove ações de sensibilização para várias temáticas da saúde, e nesta fase, com a entrada do Outono, aposta massivamente na prevenção das doenças “da época” – gripes e constipações.

Gripe e Constipação

A constipação é a infeção viral mais comum, com os sintomas a surgirem dois a três dias após o contacto com o vírus: nariz congestionado ou a pingar, garganta irritada ou dorida, diminuição do paladar e do olfato, espirros, olhos lacrimejantes, fadiga e dores de cabeça e de corpo (ligeiras a moderadas) e febre baixa. Alguns destes sintomas podem confundir-se com os da gripe, mas há diferenças importantes: causada pelo vírus influenza, a gripe surge de forma súbita e com febre elevada, prostração e dores musculares intensas e, em alguns casos, olhos inflamados; com os sinais respiratórios a declararem-se mais tarde. Qualquer pessoa se pode constipar ou ter uma gripe, mas há mas há pessoas mais suscetíveis: os idosos e as crianças.

Uma das medidas de prevenção mais importante é evitar o contacto direto com objetos contaminados pelos infetados, com particular atenção para bebés, dado que levam as mãos à boca, nariz e olhos com frequência.

Usar lenços descartáveis para assoar o nariz é aconselhado já que os tradicionais de pano recebem o vírus e de cada vez que é usado está a “auto contaminar-se”; cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir e lavar as mãos depois são outros dos cuidados bem como não partilhar toalhas nem recipientes para beber. Mas quando já não é possível evitar estas situações de risco deve-se atuar de imediato com a ingestão de líquidos em abundância, para prevenir a desidratação; usar um spray à base de água do mar de forma a evitar o congestionamento nasal; e repouso. Se necessário, recorra a medicamentos para a dor e a febre, não esquecendo, o aconselhamento farmacêutico.

Tenha igualmente atenção a outros sintomas frequentes como dores de cabeça e sensação de rosto inchado. Nos bebés é particularmente importante efectuar a limpeza nasal com soro fisiológico ou água do mar auxiliada de um aspirador nasal.

Moderação é também a palavra-chave no uso dos medicamentos para a tosse, é que a expulsão súbita de ar, mecanismo de defesa natural, arrasta secreções e partículas que agridem as vias respiratórias e os pulmões. Mas é também uma das principais vias de contágio destas doenças devido às partículas de saliva que “viajam” pelo ar.

Com ou sem expectoração, a tosse pode ser muito incómoda. Mas é possível atenuá-la: a água hidrata o organismo, as infusões (chá com mel) lubrificam as vias respiratórias e os comprimidos para chupar suavizam a garganta. Pode recorrer a nebulizações para fluidificar as secreções. A tosse deve seguir o seu curso, mas pode ser necessário recorrer a medicamentos e há vários para os diferentes tipos de tosse. 

O ideal para a prevenção nesta época, segundo Luís Rocha, é “o reforço imunitário e isso é possível através da ingestão de vitamina C, quer através de alimentos como os citrinos, quer por suplementos alimentares disponíveis na farmácia”.

A vacinação é, para o diretor técnico, “a melhor forma de prevenção”. Apesar de se criarem dúvidas à volta dos efeitos causados, a vacina é segura e eficaz, podendo ser administrada de forma cómoda e rápida na Farmácia do Marco. A partir de 15 de Outubro estará disponível nas farmácias.

Em qualquer dos casos, a Farmácia do Marco dispõe diariamente de uma equipa capaz de dar todo o aconselhamento farmacêutico necessário para as mais variadas situações.

Luís Rocha deixa ainda o alerta prioritário: “Não partilhe medicamentos nem siga o aconselhamento de terceiros: cada caso é um caso e os tratamentos diferem. Confie no seu farmacêutico”.

1 comentário
A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.