Penafiel: 26 doentes em isolamento no Hospital Padre Américo devido a bactéria multirresistente

Penafiel: 26 doentes em isolamento no Hospital Padre Américo devido a bactéria multirresistente

O Hospital Padre Américo, em Penafiel, tem neste momento 26 casos confirmados de doentes portadores e uma bactéria multirresistente, a KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase).

Segundo divulgou o Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS) em nota enviada ao Jornal A VERDADE, esta bactéria pertence ao grupo das enterobavteriáceas, que faz parte da flora normal do intestino. De acordo o centro hospitalar “continuará a haver doentes portadores e infetados. Quando o doente é exposto a antibioterapia para tratar determinada infeção pode adquirir resistência a antibióticos”.

“Neste momento foram detetados 26 casos, na sua grande maioria portadores. Encontram-se todos em isolamento”, pode ler-se no mesmo comunicado, acrescentando que “não há profissionais infetados”.

Relativamente a estes casos, o CHTS informou que “as pessoas internadas em ambiente hospitalar estão doentes e, por isso, em risco. O risco é maior quando existe resistências a antibióticos, mas de momento não há razão para nenhum alarme e todas as medidas estão a ser tomadas de acordo com recomendações. A população em geral não corre riscos, não havendo qualquer motivo para alarme”.

Ao que tudo indica, “na sua grande maioria tratam-se de portadores, sem sintomas. Só uma minoria é infetada e, nesses, a infeção em si não é mais grave. Torna-se é mais difícil de tratar, por termos menos opções terapêuticas (antibióticas) disponíveis”, foi ainda divulgado.

De acordo com o centro hospitalar, estão a ser seguidas as recomendações da Direção Geral de Saúde, uma vez que a situação é transversal a todas as instituições de saúde. “Nestas situações está recomendada a restrição dos contactos e, por esse motivo, esses doentes têm efetivamente períodos mais curtos de visita (30 min, de manhã e 30 min de tarde) para reduzir o número de visitas nas enfermarias em causa. Foram também implementadas medidas de rastreio dos contactos”.

O CHTS avançou ainda que “estas bactérias estão em circulação na comunidade, a deteção não é recente, mas, dado o número de casos, foi necessário tomar mais medidas. Tendo em conta este facto, é difícil encontrar a origem”.

Em março deste ano, oito doentes com a mesma bactéria tiveram de ser colocados em isolamento no hospital de Viseu.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.