CDS recomendou ao Governo a realização imediata de obras em escola de Marco de Canaveses

CDS recomendou ao Governo a realização imediata de obras em escola de Marco de Canaveses

Os deputados do CDS-PP eleitos pelo distrito do Porto e os da Comissão de Educação entregaram esta semana um Projeto de Resolução na Assembleia da República relacionado com a Escola Secundária de Alpendorada. No documento, recomendam ao Governo que proceda à imediata realização de obras no edifício escolar.

Os deputados Pedro Mota Soares, Cecília Meireles, Álvaro Castello-Branco, Ana Rita Bessa e Ilda Araújo Novo, querem “que o Governo efetue todas as diligências para a realização urgente das obras de requalificação do edifício da Escola Secundária de Alpendurada, Marco de Canaveses, partilhando com a escola, e demais comunidade educativa, os seus termos e calendário, e cumpra os compromissos estabelecidos”, divulgou o partido.

Recordaram ainda que aquele estabelecimento de ensino funciona há dois anos com graves problemas estruturais e que no passado mês de janeiro a direção da escola “anunciou, em comunicado, que as obras no edificado iriam começar no dia 5 de fevereiro, mas tal não se concretizou”.

 

2 comentários
A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

2 Comentários

  • Carlos Cardoso
    10 Fevereiro, 2018, 14:11

    De facto não iniciaram no dia 5 de fevereiro, passada segunda-feira mas, irão iniciar brevemente podendo como aluno da referida escola confirmar já os trabalhos de deslocação das atividades realizadas nos espaços afetados para outras partes da escola para melhor facilitar as obras

    REPLY
  • Álvaro Guedes
    14 Fevereiro, 2018, 10:11

    Conforme Informação da DGEstE, Câmara Municipal, Junta de Freguesia, Direção do Agrupamento de Escolas, e da Comissão Instaladora para Associação de Pais, os trabalhos preparativos tiveram início no dia 5 de FEV e o início das obras propriamente ditas está previsto para o dia 19.
    Esse projeto de resolução entregue na Assembleia da República neste momento não faz sentido nenhum, uma vez que a situação está desbloqueada, graças à intervenção das entidades já referidas.

    REPLY