Projeto “Economia Ativa no Douro Verde” une entidades e municípios locais

Projeto “Economia Ativa no Douro Verde” une entidades e municípios locais

Foi apresentado na tarde de quinta-feira, 30 de novembro, na Fundação Eça de Queiroz, em Baião, o projeto “Economia Ativa no Douro Verde”.

A iniciativa contou com a presença de Telmo Pinto, presidente da DOLMEN – Desenvolvimento Local e Regional; Paulo Portela, presidente da Associação Empresarial de Baião; Elsa Pinheiro, responsável técnica pelo projeto; Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural; Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião; Armando Mourisco, presidente da Câmara Municipal de Cinfães; Garcez Trindade, presidente da Câmara Municipal de Resende; Cristina Vieira, presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses; e um vereador da Câmara Municipal de Amarante.

Os oradores tiveram como tema comum a união de esforços para dinamizar a região.

economia ativa (2)

O projeto “Economia Ativa no Douro Verde”, aprovado no âmbito do Sistema de Apoio às Ações Coletivas do Norte 2020, envolve a DOLMEN (beneficiário líder), a Associação Empresarial de Baião (cobeneficiário) e os parceiros: Município de Amarante, Município de Baião, Município de Cinfães, Município de Marco de Canaveses, Município de Resende, UTAD – Universidade de Trás os Montes e Alto Douro, EPAMAC – Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses, ANCRA – Associação Nacional dos Criadores da Raça Arouquesa, e a CER Resende.

Tem por base a valorização dos “recursos e dinâmicas locais” com a promoção de um “ecossistema empreendedor, apoiado na estruturação e coordenação de uma rede regional que contribua para favorecer a criação de sinergias e de condições de eficácia no domínio do apoio ao empreendedorismo de base local”.

A “Economia Ativa no Douro Verde” emerge da “necessidade de apoiar de forma proactiva as pessoas que vivem e trabalham, ou querem viver e trabalhar, no Território Douro Verde (Baixa Densidade)” pretende-se criar um clima “favorável ao surgimento de novos negócios” em setores de atividade como a produção agrícola, animal, florestal, bem como em comércio, indústria e serviços.

As ações a implementar no âmbito do projeto direcionam-se à captação de novos empreendedores e apoio a empresários já instalados nos municípios de Baião, Cinfães e Resende, nas freguesias de Ansiães, Candemil, Jazente, Rebordelo, Salvador do Monte, Gouveia (São Simão), Vila Chã do Marão, União das freguesias de Aboadela, Sanche e Várzea, União das freguesias de Bustelo, Carneiro e Carvalho de Rei, União das Freguesias de Olo e Canadelo, no município de Amarante, e na freguesia de Várzea, Aliviada e Folhada no município de Marco de Canaveses.

Miguel Freitas, secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, sublinhou a existência de noção de “boa vizinhança” e que é possível o trabalho conjunto. Valorizou ainda a união dos municípios em torno do projeto, bem como a parceria das associações.

 

 

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta