Publicidade

banner-festas-do-marco-2019-700x394
Banner-Expomontemuro-2019-700x315

SAP do centro de saúde de Resende esteve sem médico três dias na última semana

SAP do centro de saúde de Resende esteve sem médico três dias na última semana

A revelação foi feita em declarações à margem das comemorações do 43º do 25 de Abril em Resende por Jaime Alves, vereador eleito pela coligação PSD/CDS.

Jaime Alves considera a situação “lamentável porque estamos a falar da deterioração da qualidade dos cuidados de saúde primários no Município de Resende”, disse.

Para além deste acontecimento no centro de saúde de Resende, Jaime Alves mostrou-se ainda preocupado com a situação na Extensão de Saúde da freguesia de S. Cipriano: “A acrescer àquilo que está a acontecer no centro de saúde de Resende, o Dr. Carlos Abrantes que faleceu, era médico na Extensão de Saúde de S. Cipriano e tinha cerca de 1800 utentes, não foi substituído, não houve concurso para substituição de médico e o que acontece é que neste momento, a extensão de saúde de S. Cipriano funciona apenas dois dias por semana.”

Jaime Alves reconhece que a Câmara Municipal não tem responsabilidade direta porque “não tutela serviços de saúde”, mas acusa a Câmara Municipal de “não ter o mesmo cuidado e a mesma atenção que existia há algum tempo atrás, ainda no tempo do outro Governo”.

O vereador eleito pela coligação PSD/CDS nas últimas eleições autárquicas e que vai ser novamente candidato à Câmara Municipal de Resende pelo PSD vai mais longe afirmando que “neste momento há um branqueamento político partidário, há um apagar de memória que não se justifica, há um manto de hipocrisia porque o Município devia ter outra iniciativa e exigir ao Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Baixo Tâmega, à Administração Regional de Saúde (ARS) Norte, à Secretaria de Estado e ao Ministério da Saúde que esta realidade não acontecesse”, vincou Jaime Alves.

“Em rigor quem está a ser prejudicado é a população deste concelho, uma população idosa, com fracas acessibilidades”, acrescentou Jaime Alves.

Questionado sobre o assunto, Garcêz Trindade confirmou a falta de médico no SAP do centro de saúde de Resende em três dias da última semana, situação da qual foi “conhecedor logo na altura porque prestaram-me logo essa informação. Tentei falar com o presidente da ARS Norte só que ele está de férias, só regressa quarta-feira e só amanhã consigo falar com ele sobre esta questão”, explicou o autarca resendense.

“O centro de saúde de Resende tem um corpo clínico, certo? É que dá ideia que o Centro de Saúde de Resende não tem médicos, o que não é verdade. O centro de saúde tem médicos, tem corpo clínico só que alguém determinou que os clínicos que são deste centro de saúde façam urgência noutros centros de saúde, deixando de ter capacidade de horário.”, explicou Garcêz Trindade.

Perante esta situação, o autarca diz que “se houver quem assegure o serviço de SAP 24 horas por dia em Resende, tudo bem. Agora quando há falhas eu penso que alguém devia ter autoridade de requisitar o corpo clínico do centro de saúde para fazer a urgência”.

Garcêz Trindade mostrou-se insatisfeito com a situação ocorrida dizendo que “deixar o centro de saúde sem médico é uma falta de respeito em toda a linha por todos os resendenses.”

Sobre a situação da extensão de saúde de S. Cipriano, o edil resendense afirmou que “é um grande bluff aquilo que disseram na intervenção de que corria o boato de que a extensão de saúde iria fechar”, numa alusão ao discurso nas Comemorações do 25 de Abril de Luís Matos, representante do grupo do PSD/CDS na Assembleia Municipal.

“É um boato, eu nunca ouvi dizer semelhante tal nem tenho confirmação. A única circunstância que existe é que tivemos a infelicidade de nos falecer um médico e quando esse elemento faleceu, o concurso para colocação de novos clínicos já tinha sido feito.”

Garcêz Trindade insistiu que “não é verdade que haja alguém, pelo menos pessoas de responsabilidade, que tivesse dito que a extensão de saúde de S. Cipriano ia fechar”, classificando essas declarações de “um aproveitamento ridículo de quem devia ter a responsabilidade de antes de lançar esses boatos, saber o que está a dizer e até falar com quem pode desmentir uma notícia desse tipo.”

O presidente do município de Resende respondeu ainda às acusações de branqueamento destas situações feitas por Jaime Alves afirmando que “o centro de saúde de Resende tem médico as 24 horas. O que aconteceu foi que o clínico faltou e contra a falta de um profissional eu não posso fazer nada nem ninguém pode fazer nada.”

“Estarmos a dizer que estamos a branquear alguma coisa é algo de grave e é um aproveitamento político ridículo e que uma pessoa com responsabilidades não o deve fazer”, acusou Garcêz Trindade.

O autarca garantiu que o SAP já voltou à normalidade, insistindo que a situação ocorrida deveu-se apenas à falta de um médico.

Desde 2014 que a Câmara Municipal de Resende assegura o pagamento aos médicos para que o SAP possa funcionar 24 horas por dia, situação que deverá ser revertida em julho, segundo revelação feita hoje pelo presidente da Câmara de Resende, Garcêz Trindade.

1 comentário
João Pereira
CONTRIBUTOR
PERFIL

Publicidade

Banner-Festival-Francesinha-Felgueiras-700x446

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

  • Margarida Marinho
    27 Abril, 2017, 15:14

    Na qualidade de médica a serviço no SAP/Resende desde 01/01/2017 lamento ler este tipo de desinformação da população,da parte de entidades ditas responsáveis.
    Não pretendendo iniciar qualquer tipo de diálogo informo que a equipe médica responsável no SAP iniciou as suas funções a 01/Janeiro do corrente ano sem faltas até um dos elementos ser dispensado e não substituído desde o dia 6 do corrente mês. Desde esse dia os 3 médicos restantes têm tido a responsabilidade em assegurar todos os horários em falta e do nosso conhecimento apenas o dia 11 e 22 do corrente ficaram a descoberto por completa impossibilidade de substituição e não por falta de vontade e inclusive uma das colegas fez 48 horas seguidas ( 20 e 21). Há imprevistos e circunstâncias difíceis de controlar mas diminuiria muito os problemas da população de Resende se houvesse preocupação em informar corretamente de forma a saberem quais os direitos e deveres e a forma de rentabilizarem os serviços.
    Agradeço que quando quiserem publicar notícias e logicamente vender jornais e não praticar mau jornalismo se informem melhor e não utilizem os profissionais de saúde como base de mentiras

    Os meus cumprimentos
    Margarida Marinho
    Cédula Profissional 20043 S.R. Norte da O. M.

    REPLY