Publicidade

banner-baiao-festas-700x259

Rios de Baião receberam 13 mil trutas desde o ano 2010

Os rios Teixeira e Ovil, no concelho de Baião, receberam, a 9 de junho, uma renovação da sua fauna autóctone, com a chegada de 4 mil trutas vindas dos viveiros do Marão.

Este é o terceiro repovoamento realizado desde 2010, tendo sido colocadas ao todo 13 mil trutas nos rios de Baião. Os repovoamentos ocorreram no lugar de Várzea (rio Teixeira) e na praia fluvial de Outoreça (rio Ovil).

“O nosso concelho orgulha-se de ser o mais verde do distrito do Porto e é importante trabalharmos, de forma gradual, para que assim continue a ser. Esta atividade de repovoamento dos rios enquadra-se na nossa estratégia de preservação ambiental, juntamente com a reflorestação das nossas serras, com o desenvolvimento de projetos de sensibilização ambiental e com a implementação de projetos inovadores como o Eco-Saldo, entre outros”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira.

O autarca acompanhou a atividade, juntamente com a vereadora da Educação, Ivone Abreu, e destacou ainda o envolvimento das escolas. “É fundamental sensibilizarmos as gerações futuras para a preservação do meio ambiente e as escolas têm correspondido sempre ao nosso apelo, envolvendo-se nas atividades com empenho”, destacou.

Ao todo, participaram nas atividades de repovoamento dos rios meia centena de alunos dos Agrupamentos de Escolas de Sudeste de Baião (5º ano) e dos Agrupamentos de Escolas de Vale de Ovil e de Eiriz-Ancede (5º e 6º ano). Os jovens envolveram-se na atividade e auxiliaram os técnicos do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas na realização do repovoamento.

“Gostei muito de participar nesta atividade porque pudemos dar vida a este ecossistema”, referiu o aluno do Agrupamento de Escolas de Vale de Ovil, Francisco Monteiro Silveira, que se mostrou surpreendido com a vivacidade das pequenas trutas: “Quando pegávamos nos baldes para as encaminhar para o rio até faziam cócegas”.

O professor daquele agrupamento, Luís Geada, explicou que os alunos mostram-se por norma muito recetivos a este tipo de atividades. “Eles gostam muito de participar em atividades que envolvam os espaços verdes e os rios do nosso concelho e desde há vários anos que temos visitado o terreno para identificar a fauna e a flora e para reconhecer bioindicadores, que são elementos que permitem avaliar a boa qualidade ambiental”, contextualizou o professor.

A técnica do pelouro do Ambiente da Câmara Municipal de Baião, Luísa Borges, explicou que o repovoamento realizou-se na sequência de uma visita aos Viveiros de Trutas do Marão, situados em Candemil (Amarante). Durante essa visita, integrada no Projeto Educativo Concelhio, os alunos puderam aprender quais são os ciclos de crescimento das trutas e ficaram a conhecer mais sobre esta espécie.

Os repovoamentos realizados a 9 de junho incidiram estrategicamente sobre zonas dos rios pouco habitadas, de forma a evitar que as trutas de maior dimensão pudessem comer as trutas agora colocadas, que medem apenas entre dois a três centímetros e, em zonas onde o habitat tem capacidade para os sustentar. A atividade de repovoamento no rio de Ovil contou ainda com a participação dos formandos do curso de Técnicos de Recursos Florestais e Ambientais.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Publicidade

banner-lousada-700x262

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta