Amarante: Mais de 10 mil pessoas na Feira dos Doces Conventuais de Amarante

Amarante: Mais de 10 mil pessoas na Feira dos Doces Conventuais de Amarante

Mais de dez mil pessoas visitaram a sétima edição da Feira dos Doces Conventuais que decorreu no passado fim-de-semana em Amarante.

“Apesar da crise e da chuva, as pessoas corresponderam ao convite e apareceram em grande número”, afirma a organização, a cargo da Associação Empresarial de Amarante (AEA), destacando também a animação do evento ao longo de todo o fim de semana.

“Desta vez, o espaço dos claustros do mosteiro de S. Gonçalo estava ainda mais bonito e animado. Montámos uma tenda transparente que permitiu a visita à feira com todo o conforto, apesar da chuva. Além disso, houve o cuidado de dotar o espaço de uma decoração mais cuidada, conferindo-lhe as condições de um salão de chá com requinte”, explicou o presidente da associação, Luís Miguel Ribeiro.

“Acredito que as pessoas que visitaram a feira gostaram do ambiente e isso para nós é gratificante”, acrescentou.

 

Vendas corresponderam às melhores expetativas

 

Em termos de vendas, as melhores expetativas também foram concretizadas, sobretudo dos novos expositores que admitiram, no final, que valeu a pena apostar neste certame, assinalando ainda a simpatia das gentes de Amarante e a beleza da cidade.

No grupo dos doceiros que repetiam a experiência, a maioria também garantiu ter aumentado as vendas comparativamente com edições anteriores.

Nos três dias do evento, muita gente passou pelos claustros, incluindo visitantes vindos de fora de Amarante, que aproveitaram para conhecer a cidade e desfrutar do seu património.

O início da feira ficou assinalado pela assinatura de um protocolo entre o Turismo do Porto e Norte, a Associação Empresarial de Amarante e a Câmara de Amarante, no qual as três entidades acordaram colaborar entre si na promoção turística de Amarante.

A autarquia de Amarante colaborou na organização do certame, tendo o seu presidente, Armindo Abreu, estado na cerimónia de abertura, acompanhado do responsável do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira.

 

Aposta clara na internacionalização

 

Nesta sétima edição foi tornado público que a AEA está a trabalhar num processo de internacionalização do doce conventual da cidade.

Esse processo permitirá levar doceiros a vários países na procura de mercados voltados para a exportação.

A associação apresentou uma candidatura aos fundos do QREN que financiará projetos que promovam a internacionalização da economia de Amarante.

Nesse âmbito, os doceiros serão convidados a participar em feiras internacionais que promovam cada uma das atividades industriais e comerciais do concelho.

Como primeiro passo no sentido da internacionalização, a associação e o Turismo do Porto e Norte promoveram, recentemente, em Santiago de Compostela, Espanha, uma ação de promoção dos doces conventuais de Amarante, que incluiu uma arruada nas artérias daquela cidade galega.

A AEA está, por outro lado, a concluir a certificação do doce conventual, um trabalho realizado com a colaboração científica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Este processo permitirá conferir a cada produtor uma ficha técnica com elementos da produção e armazenamento que permitirá certificar e monitorizar a qualidade.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta