Paredes: Novos centros escolares de paredes são aquecidos com os desperdícios de madeira

Paredes: Novos centros escolares de paredes são aquecidos com os desperdícios de madeira

Para fazer face aos custos relacionados com o aquecimento dos seus novos centros escolares, o Município de Paredes tem em curso um projecto pioneiro ao nível da eficiência energética e que permitiu já uma poupança de mais de 300 mil euros à autarquia no último ano lectivo.

 

Aproveitando as mais de 1.200 fábricas de mobiliário instaladas no concelho, o Município passou a receber directamente, e de forma gratuita, os desperdícios de madeira numa pequena unidade construída para o efeito no Ecocentro de Cristelo.

 

O investimento de cerca de 165 mil euros realizado naquela unidade, através de uma candidatura a fundos comunitários, permitiu ao Município reutilizar os desperdícios industriais, outrora queimados, transformando-os em briquetes de alta qualidade e densidade.

 

Depois de embalados e distribuídos, e em alternativa ao mais dispendioso gás natural, os briquetes são usados como combustível nas caldeiras de aquecimento, desenvolvidas por uma empresa local propositadamente para aquele fim, nos novos centros escolares de Paredes.

 

Graças a este sistema inovador, para já único do país, “o Município conseguiu uma poupança de cerca de 300 mil euros por ano só nesta primeira fase, reduzindo drasticamente a factura do gás, electricidade ou gasóleo”, explicou Pedro Mendes, vereador da Educação da Câmara Municipal de Paredes.

 

“Contudo, logo que estejam em pleno funcionamento todos os 14 novos centros escolares, a poupança poderá ascender a mais de um milhão de euros”, acrescentou o autarca.

 

Esta solução, de custos marginais e devidamente certificada com o grau máximo de eficiência energética, mereceu já o interesse de outros municípios do país, naturalmente preocupados com os custos associados ao aquecimento das suas escolas por gás natural e à anunciada subida do IVA de 6 para 23%.

 

Actualmente, é já possível reciclar no Ecocentro de Paredes mais de 2.500 toneladas de resíduos da madeira por ano. O próximo objectivo é duplicar este número e alargar a distribuição de briquetes às Piscinas Municipais e a outras instituições sociais do Concelho.

 

O Município de Paredes pondera igualmente a hipótese de, no futuro, colocar a produção excedente no mercado, aproveitamento depois essa verba para financiar projectos educativos, como a EPIS (Empresários pela Inclusão Social) e os próprios transportes e refeições escolares.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL
banner-felgueiras-600x229

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.