Castelo de Paiva: Centro Social de Sardoura inaugurou obras de ampliação das suas instalações

Castelo de Paiva: Centro Social de Sardoura inaugurou obras de ampliação das suas instalações

O Secretário de Estado da Saúde, Óscar Gaspar, o Governador Civil de Aveiro, José Mota, a directora distrital do Centro de Segurança Social de Aveiro, Helena Terra, e o presidente da CM de Castelo de Paiva, Gonçalo Rocha, entre outras entidades e convidados, marcaram presença na cerimónia de inauguração das novas instalações do Centro Social de Santa Maria de Sardoura, agora alargadas a novos e funcionais espaços para acolher uma Creche para 25 crianças e um Lar de Idosos, para 24 utentes, num investimento superior a 1 milhão e 200 mil euros.

 

O dia foi de festa, a IPSS de Sardoura fez as honras da casa, a população correspondeu em peso à chamada e a sede do Centro Social de Sardoura, localizada na Quinta da Devesa, foi pequena para acolher tanta gente, ávida por conhecer as novas instalações e confirmar o requinte dos espaços que vão acolher as novas valências, orientadas para a terceira idade e infância.

 

Na sua intervenção, depois do acto inaugurativo e da visita às novas instalações, José António Rocha, presidente do Centro Social de Sardoura, agradeceu ao Governo a colaboração disponibilizada para estas obras, através do Programa PARES, “ permitindo colocar neste território duas respostas sociais de elevada qualidade e competência, que vêm responder às necessidades dos nossos idosos e crianças, facilitando, também, a conciliação entre a vida familiar e profissional “.

 

Depois de endereçar um agradecimento a quem sonhou com este projecto há dez anos atrás, ao apoio da Segurança Social de Aveiro e elogiar a empresa que assumiu as obras, pela competência e qualidade técnica demonstrada, o dirigente não deixou de evidenciar uma palavra de agradecimento e apreço à Câmara Municipal de Castelo de Paiva, pela agilização e desbloqueio de procedimentos burocráticos e administrativos, relacionados com esta grande obra social.

 

Recordando que a construção deste equipamento social é o corolário de um trabalho de 10 anos de intensa actividade, José António Rocha realçou a vontade de, no dia a dia, abraçar projectos e desafios com energia e optimismo, tentando ultrapassar os problemas com persistência, esforço e muita resistência à frustração, com um trabalho de equipa, onde se valoriza o mérito e as competência individuais de cada um, referindo que esta candidatura foi sustentada na matriz de intervenção que tem marcado a vida da instituição: a intervenção junto dos grupos mais desfavorecidos, sendo que os idosos e as crianças são grupos etários que enfrentam, por vezes, situações gravosas do ponto de vista da pobreza e exclusão social.

 

E abordando as funcionalidades do novo equipamento social, o presidente do CS de Sardoura recorda a originalidade e o sentido da escultura inaugurativa e destacou o pequeno corredor que faz a ligação entre as dependências das duas respostas sociais, considerando ser a ponte que aproxima duas gerações, que activa o conceito da solidariedade intergeracional, prevalecendo a ideia de que, a aproximação saudável entre várias gerações é um contributo essencial para a melhoria dos sentimentos de auto-estima e integração social dos idosos.

 

Evidenciando a alegria de ver partilhada a concretização de um novo equipamento social ao serviço da população paivense, o presidente da Câmara Municipal, Gonçalo Rocha congratulou-se com este forte investimento do Centro Social de Sardoura, comparticipada pelo Programa PARES e apoiada pelo edilidade paivense, realçando a importância deste tipo de equipamentos na qualidade de vida das nossas populações, daí destacar que, “ desde a primeira hora entendemos que o desenvolvimento local deve ser assumido numa perspectiva de sustentabilidade, de integração e de bem – estar social, sendo que o objectivo estratégico de imprimir ao concelho vias de desenvolvimento a este nível, leva-nos a procurar no tecido social que se consolidem projectos locais, fazendo convergir diferentes recursos e sinergias, possibilitando o avanço para formas novas e inovadoras de resposta às questões sociais, procurando configurar, de forma integrada e integradora, o espaço colectivo “.

 

Para o edil paivense, sendo a erradicação da pobreza, a promoção do emprego e a integração social, pilares do desenvolvimento social, é fundamental preconizar uma actuação mais ampla, no sentido de alcançar o desenvolvimento sustentável que garanta a igualdade de oportunidades, condições de vida dignas e direitos de cidadania para todos, apostando em acções capazes de criar riqueza, de promover o emprego, de aumentar os rendimentos das famílias e de melhorar o nível de vida dos paivenses.

 

Abordando a definição de Estado Social, o autarca de Castelo de Paiva fez questão de destacar a obrigação do Estado desenvolver politicas de promoção do bem estar social, que se materializem na igualdade real entre cidadãos, ao dever de manter um sistema de saúde, um sistema de educação, um sistema de segurança social, com carácter universal e disponível a todos os cidadãos, daí expressar que as medidas de carácter social são uma matriz que a todos deve orgulhar, já que sem elas, não se teria este bom exemplo do Centro Social de Sardoura em funcionamento, a quem desejou o maior sucesso, na aposta que deve ser ganha para um concelho mais solidário, que deve continuar a apostar na permanente valorização da condição humana.

 

Mas  desenvolvimento integrado é indissociável da existência de boas acessibilidades ao exterior e o presidente Gonçalo Rocha não perdeu a oportunidade de reclamar a construção do IC 35 e a conclusão da Variante à EN 222, previstas mas proteladas, evidenciando que o concelho continua sem ter ligações condignas com os grandes eixos rodoviários, com o Norte e o Litoral do país, lembrando que a Variante à EN 222, construída nos últimos quinze anos e que liga a sede do concelho à sua fronteira poente, está por concluir, faltando apenas seis quilómetros para possibilitar uma ligação rápida ao litoral e ás auto estradas A42 e A32, dificuldades que obstaculizam o desenvolvimento económico do concelho, afecta a mobilidade, dificultando o acesso rápido aos cuidados de saúde prestados nos dois hospitais de referencia da região, evidenciando uma situação que se tornou mais crítica após algumas alterações no sector da Saúde, com as quais o município nunca concordou.

 

Enquanto Paulo Teixeira, presidente da Assembleia – Geral do Centro Social de Sardoura, manifestou o seu contentamento pela concretização deste equipamento e fez o historial desta IPSS até à grandeza de hoje, o Secretário de Estado da Saúde congratulou-se por ver a  dinâmica da instituição, agora servida por excelentes instalações, potenciando um melhor serviço para as valências agora contempladas, realçando a boa visão dos dirigentes da instituição para a concretização deste projecto que, num Encontro de Gerações, combina de forma perfeita a  infância com a terceira idade, no contexto de respostas socias integradas.

 

Óscar Gaspar falou depois da Rede de Cuidados Continuados, e a necessidade de envolver as IPSS, as Misericórdias e os parceiros de pleno direito, na prestação deste serviço casa vez mais importante  na sociedade actual, insistindo no contributo que todos devem dar na luta pela coesão e dinâmica social que o país precisa.  

 

Recorde-se que o Centro Social de Sardoura foi criado em 1990 e, para além dos serviços prestados no apoio a idosos e à infância, com Centro de Dia e Apoio Domiciliário, tem mantido uma operação comunitária de relevante importância para o desenvolvimento social local e, no âmbito do Projecto INCLUIR, desenvolvido ao abrigo do Programa PROGRIDE, cuja entidade promotora é a Câmara Municipal de Castelo de Paiva, devem ser destacadas as respostas dadas no reforço da coesão social, com efeitos preventivos e correctivos junto dos mais necessitados, actuando e promovendo a inclusão social, escolar e profissional, merecendo ser evidenciado o notável trabalho desenvolvido ao nível das Oficinas Tradicionais, Alfabetização, Formação Sócio – Comunitária, o Espaço de Inclusão Digital, o Paiva Amigo, o Envelhecer Animado, o CODI – Centro Ocupacional de Deficientes, o Campo de Férias, para além do Espaço ser Mais Criança…cujos objectivos têm amplamente sido superados.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta