Presidente da Câmara do Marco apresenta queixa por agressão

O presidente da
Câmara do Marco de Canaveses, Manuel Moreira, revelou hoje à Lusa que
vai apresentar queixa contra uma mulher do Porto que o agrediu domingo
à tarde durante um espectáculo público.
 O
incidente ocorreu durante um espectáculo de folclore, integrado no
programa das festas concelhias, quando uma mulher de 41 anos subiu ao
palco, retirou o microfone ao autarca, proferiu alguns insultos e
desferiu-lhe uma forte bofetada.
 Manuel
Moreira, como o próprio contou à Lusa, estava a entregar um troféu ao
grupo de folclore da Folhada e agradecia a sua participação no evento.
 O autarca, que não reagiu à agressão, gracejou hoje “que a mulher tinha a mão pesada”. A
mulher, que continuou a proferir insultos e outros impropérios contra o
autarca, mesmo depois deste ter abandonado o local, foi identificada
pela polícia municipal e posteriormente pela GNR.
 “Não
tenho nenhum motivo para pensar que o ataque foi instrumentalizado, mas
também não encontro nenhuma motivação para a agressão de que fui
vítima”, afirmou hoje o autarca marcuense, que optou por apresentar
queixa na GNR.
 Num
primeiro momento, o autarca desvalorizou o incidente mas hoje decidiu
que quer o caso “bem esclarecido”, uma vez que a câmara a que preside
desde 2005 “não tira terrenos a ninguém”, numa alusão às acusações da
agressora.
 O
auto de notícia seguirá depois para o Ministério Público e Manuel
Moreira pretende que o caso seja investigado e esclarecido, porquanto a
mulher afirmou, perante muitas centenas de pessoas que assistiam ao
espectáculo, que “nesta Câmara Municipal são todos corruptos”,
 A
mulher diz ainda que é “baronesa” e alegou, por diversas vezes, que os
terrenos onde decorrem os espectáculos “pertenciam aos seus
antepassados”, relatou o autarca.
 “A
actual câmara não tem conhecimento de nenhum processo que envolva esta
senhora ou os seus familiares e apesar de não estar seguro que seja um
incidente instrumentalizado, também é muito estranho que esta senhora
tenha vindo do Porto para adoptar um animal [foi a explicação que deu
para a sua presença no Marco] e acabe a agredir o presidente da
câmara”, observou.
 A
senhora, face ao estado exaltado em que se encontrava, foi levada de
ambulância ao hospital local, mas regressou posteriormente a casa na
companhia de uma amiga e de dois filhos menores que a acompanhavam.
 Manuel
Moreira confia que “não haverá motivações políticas” neste incidente,
mas assegura que como recandidato à câmara em 11 de Outubro “deseja
travar um combate democrático” com todos os seus adversários, aos quais
pede “muita elevação”.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta