Marco de Canaveses: Autoridade Hidrográfica vai avaliar derrame de nafta em afluente do Tâmega

Marco de Canaveses: Autoridade Hidrográfica vai avaliar derrame de nafta em afluente do Tâmega

Elementos
da Administração da Região Hidrográfica do Norte (ARH Norte) vão
deslocar-se hoje à tarde ao Marco de Canaveses para avaliar as
consequências do derrame de nafta num afluente do rio Tâmega.
 

Apesar
das cautelas manifestadas pelas autoridades ambientais, o vereador do
sector do Ambiente na Câmara do Marco de Canaveses José Mota disse que
“o abastecimento de água à cidade não foi afectado”, não só porque o
material poluente não terá chegado ao rio Tâmega como a captação de
água para consumo humano é feita em profundidade.

 

O
vereador acrescentou que foram colocadas quatro mangas de contenção no
rio Odres e que está a ser retirado do ribeiro todo o produto
contaminante, operações de limpeza que foram retomadas ao início da
manhã e que vão prolongar-se até ao fim do dia.

 

“Apesar
de o risco ser mínimo para o abastecimento público, a empresa
concessionária Águas do Marco está a acompanhar o processo e ao nível
laboratorial estão a ser realizadas análises da água na captação desde
que foi conhecido o alerta do derrame”, adiantou o vereador.

 

A
autoridade ambiental do Norte vem ao Marco de Canaveses avaliar também
as consequências do derrame para a população da área da Cegonheira, na
freguesia de Constance, onde se localiza a tinturaria responsável pelo
acidente ambiental.

 

Segundo
o vereador José Mota, a empresa alega que o acidente foi causado por
uma rotura numa conduta de nafta, um combustível utilizado para o
aquecimento das caldeiras da unidade industrial.

 

Este
responsável acrescentou que vão ser apuradas responsabilidades, tendo o
SEPNA (Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente) da GNR levantado
o respectivo auto de notícia e iniciado o competente inquérito.

 

“É
um crime ambiental e têm de ser apuradas responsabilidades. As
autoridades já identificaram o local de descarga e o proprietário da
fábrica, que tem sido colaborante”, adiantou.

 

José
Mota aconselha também a população da área que tem poços ou captações de
água ou utiliza a água na agricultura ou na alimentação animal a tomar
precauções e a proceder a recolha da água utilizada para serem feitas
análises.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.