Amarante: Conferência “Por Mais Comboio” analisa o impacto da eletrificação

Amarante: Conferência “Por Mais Comboio” analisa o impacto da eletrificação

A Associação Empresarial de Vila Meã  (AEVM) vai realizar no dia 13 de janeiro, a partir das 10h, a conferência “Por Mais Comboio”.

A iniciativa terá lugar no Cineteatro Raimundo Magalhães, em Vila Meã – Amarante e vai incidir sobre o impacto do comboio no bem-estar das vilas e cidades. Acontece no ano em que se celebra os 140 anos da chegada do comboio a Vila Meã.

“Que expectativas se concretizarão após eletrificação? É o que pretendemos clarificar com a conferência”, indicou a organização.

Segundo a AEVM, estão confirmadas as presenças da Câmara Municipal de Amarante, da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, da Câmara Municipal de Paredes, da Câmara Municipal de Valongo, da Infraestruturas de Portugal e da Comissão de Utentes da Linha do Douro.

No primeiro painel serão abordados os ‘Investimentos na linha do Douro’, sendo o orador a Infraestruturas de Portugal e as ‘Vantagens económicas e sociais deste meio de transporte no Norte de Portugal’, pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

No segundo painel será dada a voz aos autarcas, que vão falar das ‘Expectativas e oportunidades da eletrificação da linha do Douro’.

A sessão irá incluir ainda um espaço para debate.

 

1 comentário
A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

1 Comentário

  • Venâncio Oliveira
    9 Janeiro, 2018, 16:53

    Esta conferência é uma forma de pressionar e é louvável, mas é inócua.
    Este ano que se celebra o 140º aniversário a linha do douro vai encerrar definitivamente a partir de Caíde.
    Estes anúncios governamentais são uma cópia fiel de que foi feito na linha do Tâmega.
    Lembram-se da Ministra do P.S. Ana Paula Vitorino ir a Amarante anunciar a requalificação da Linha Tâmega? É o cinismo dos governos, e a Senhora continua a ser Ministra no actual governo.
    Já agora para que serviria a linha se a CP não tem comboios? Foram quase todos vendidos ao Snr. Godinho de Esmoriz e outras negociatas congéneres.

    REPLY