Amarante: Viatura dos Bombeiros de Vila Meã “em princípio dará para recuperar, mas é uma incerteza”

Amarante: Viatura dos Bombeiros de Vila Meã “em princípio dará para recuperar, mas é uma incerteza”

Os operacionais da corporação dos Bombeiros Voluntários de Vila Meã, que na segunda-feira, dia 6 de agosto, tiveram um acidente numa viatura, já tiveram alta e encontram-se a recuperar.

Em conversa com o Jornal A VERDADE, Ricardo Vieira, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Meã, revelou que tinha sido feito um investimento no que respeita à segurança dos veículos, com a colocação de ‘Roll Bar’, o que permitiu que “a cabine não sofresse danos e que nenhum dos bombeiros tivesse ferimentos graves”.

Segundo o dirigente, “a viatura em princípio dará para recuperar, mas neste momento é uma incerteza”.

Ricardo Vieira admitiu que a decisão relativa ao veículo vai depender do estado da mesma. “Se der para reparar, teremos um suporte financeiro da Autoridade Nacional da Proteção Civil, porque estávamos em patrulhamento com consentimento do comando distrital, por isso entrará na diretiva financeira e será suportada por eles. Caso seja dado perda total, teremos um valor residual daquilo que seria o custo total de uma viatura destas que ronda os 100 mil euros”, explicou.

“É evidente que estamos a falar de carros caros e se for para substituir este carro, nós não temos meios financeiros”, acrescentou o presidente.

Recorde-se que os bombeiros estavam a fazer patrulhamento e vigilância em Travanca, no concelho de Amarante, num caminho municipal que tinha sido limpo por uma retroescavadora, tendo a terra ficado mole, o que levou ao capotamento do VFCI (Veículo Florestal de Combate a Incêndios), da corporação de Vila Meã.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.