Jovem da região conquistou Prémio Europeu Professor António de Sousa Franco

Jovem da região conquistou Prémio Europeu Professor António de Sousa Franco

Rui Pedro Pinto, um jovem de 24 anos natural de Santa Marinha do Zêzere, do concelho de Baião mas atualmente a residir em Marco de Canaveses, conquistou o Prémio Europeu Professor António de Sousa Franco, na categoria formação.

Licenciado e mestre em Criminologia, pela Universidade Luísiada-Norte, do Porto, e atualmente a frequentar a licenciatura de Direito no mesmo estabelecimento de ensino, o jovem foi também presidente do Núcleo de Criminologia e Investigação em Segurança e da Associação Académica da Universidade Lusíada Norte, tendo também desempenhado funções de presidente do Conselho Fiscal da Federação Académica do Porto. Foi membro do Conselho Geral da Fundação Minerva – Cultura – Ensino e Investigação Científica, bem como, membro do Conselho Pedagógico e Escolar da Universidade Lusíada – Norte.

Em conversa com o Jornal A VERDADE, Rui Pedro Pinto revelou “orgulho por ver um trabalho de vários meses reconhecido desta forma”.

Com o tema ‘Terrorismo e segurança: a visão político-criminal da União Europeia’, o baionense decidiu apresentar este tema após a sua tese de mestrado. “Sendo o Prémio Europeu António de Sousa Franco uma distinção muito relevante na área do direito, decidi aproveitar o estudo da minha dissertação de mestrado para, através dela, elaborar um artigo para o concurso que incide sobre o Direito da União Europeia”, explicou.

rui pedro pinto

Rui Pedro Pinto receberá, no dia 21 de setembro, na Sala dos Reitores da Reitoria da Universidade de Lisboa, um título honorífico e um prémio monetários de mil e quinhentos euros, que, segundo afirmou, “ainda não pensei muito bem onde é que irei investir essa quantia”, acrescentando que “é apenas um acréscimo à grande honra que é para mim ser o vencedor desta edição do Prémio Europeu António de Sousa Franco”.

Esta distinção é uma iniciativa da delegação socialista portuguesa no Parlamento Europeu, da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa distingue trabalhos inéditos na área do Direito da União Europeia, nas categorias da formação e da investigação, que contribuam para um aprofundamento da cidadania europeia.

O galardão é atribuído anualmente em duas categorias: na categoria ‘Formação’, onde se podem candidatar estudantes dos cursos de licenciatura e mestrado em Direito inscritos em qualquer instituição de ensino superior portuguesa; na categoria ‘Investigação’ podem candidatar-se licenciados em Direito, com idade igual ou inferior a 35 anos, que tenham nacionalidade portuguesa ou que residam em Portugal ou que tenham obtidolLicenciatura ou formação pós-graduada em instituição de ensino superior portuguesa.

Relativamente ao futuro, o jovem revelou que pretende “ingressar na Ordem dos Advogados e iniciar o doutoramento em Direito na Universidade Lusíada-Norte (Porto)”.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.