Presidente de Celorico de Basto condenado a perda de mandato

Presidente de Celorico de Basto condenado a perda de mandato

 

Joaquim Mota e Silva, presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, foi condenado a três anos de prisão, com pena suspensa e perda de mandato pelo crime de prevaricação em cargo político.

Esta condenação resulta do contrato feito pelo autarca com a empresa do pai, Albertino Silva, para fazer o saneamento financeiro da autarquia. A contratação da empresa ‘Casa do Portelo – Agroflorestal, Turismo e Serviços’ teve a duração de dois anos e foi feita pelo valor de 53.847,50 euros.

A sociedade ‘Casa do Portelo’ foi realizada a 5 de novembro de 2009 e o ajuste direto foi feito poucos dias depois. A este facto é ainda acrescida a falta de documentos que comprovem a prestação de serviços de Albertino Silva à Câmara Municipal de Celorico de Basto.

Este ajuste terá acontecido em 2009, um mês depois da eleição de Joaquim Mota e Silva para presidente da autarquia de Celorico de Basto, tendo sucedido ao próprio pai.

O presidente revelou que vai recorrer a esta decisão tomada pelo Tribunal de Guimarães.

Inácio Silva, que era o vice-presidente em 2009, foi também condenado a três anos de prisão, com pena suspensa.

Joaquim Mota e Silva continuará a exercer funções no município, até que a sentença transite em julgado.

 

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.