Dia Mundial sem Tabaco: ‘Os fumadores têm um risco 2,5 vezes superior de morte por ataque cardíaco’

Dia Mundial sem Tabaco: ‘Os fumadores têm um risco 2,5 vezes superior de morte por ataque cardíaco’

Os principais malefícios para a saúde relacionados com o tabaco atingem sobretudo os aparelhos respiratório e cardiovascular mas praticamente todos os órgãos do corpo humano podem ser atingidos, tantas são as substâncias tóxicas (mais de 4000!). a que os fumadores estão expostos.

Apesar de hoje serem bem conhecidos os efeitos do tabaco na saúde das pessoas, e apesar da divulgação que é feita através da comunicação social escrita e falada e de algumas campanhas junto da população alvo (escolas por exemplo), o certo é que os jovens começam a fumar em idades cada vez mais precoces (12 anos ou menos) o que é particularmente grave devido ao risco de dependência numa fase precoce da vida e associação com consumo de álcool e outras drogas.

Os dados do relatório “Prevenção e Controlo do Tabagismo em números – 2013”, revelam que mais de 90% dos fumadores portugueses, iniciaram o consumo antes dos 25 anos e que existe uma tendência para o aumento do consumo de tabaco entre os jovens.

De entre as inúmeras substâncias que compõem o tabaco a nicotina é a responsável pela dependência e outras condicionam patologia pulmonar e cancro (pulmão, cavidade oral, faringe, laringe, esófago, estômago, pâncreas, bexiga, rins, colo do útero e leucemia).

O consumo de tabaco é igualmente o principal fator de risco evitável de doença cardiovascular. É causa de aterosclerose que está na origem do AVC, enfarte do miocárdio, doença vascular periférica… Aumenta a tensão arterial e a frequência cardíaca. Causador de arritmias e morte súbita.

Os fumadores têm um risco 2,5 vezes superior de morte por ataque cardíaco em relação aos não fumadores, e um risco 2 vezes superior de virem a sofrer de AVC. 

Fumar é lesivo para todo o aparelho respiratório.

Provoca diminuição das defesas contra a infeção e diminuição da capacidade de eliminar microrganismos, tornando as infeções mais frequentes e mais graves, estando presentes muitas vezes agentes mais agressivos.

Existe evidência entre tabaco e depressão. Aumento do risco de infertilidade e impotência sexual, no homem. Na mulher condiciona maior dificuldade em engravidar, irregularidade menstrual e aborto espontâneo. A associação do tabaco ao uso da pilula aumenta o risco de doença coronária, AVC e falha do contracetivo.

A exposição ao fumo de tabaco ambiental (fumador passivo) provoca risco aumentado de morte súbita no recém-nascido e infeções respiratórias agudas, asma grave e outros sintomas respiratórios na criança, bem como atraso no crescimento. Condiciona igualmente aumento do risco de doença coronária (30%) e de cancro do pulmão (20-30%) e outras patologias respiratórias agudas e crónicas.

Fumar dentro de casa é um atentado grave contra a saúde dos outros e os outros são a sua família!

Pelo que fica escrito e pelo muito mais que não fica, não parece inteligente fumar e muito menos começar a fumar. Se fuma procure ajuda para deixar se não conseguir sozinho. Se nunca fumou pela sua saúde não comece! Este é dos poucos fatores de risco (e que risco!) que apenas depende de cada um controlar. Não esqueça que fumar passou de moda, já não tem “glamour”…

 

scmmc-simoes-torres-gripe

Simões Torres

Pneumologista da Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses
Diretor do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar Tondela Viseu

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.