Amarante: José Luís Gaspar assinou Termo de Aceitação para a candidatura ao Aviso para a Desobstrução, a Regularização Fluvial e o Controlo de Cheias

Amarante: José Luís Gaspar assinou Termo de Aceitação para a candidatura ao Aviso para a Desobstrução, a Regularização Fluvial e o Controlo de Cheias

O presidente da Câmara Municipal de Amarante assinou o Termo de Aceitação, que aprova a candidatura do município de Amarante ao Aviso para a Desobstrução, a Regularização Fluvial e o Controlo de Cheias, no passado dia 7 de fevereiro em Golegã, a convite do ministro do Ambiente, João Pedro Matos, e da Autoridade de Gestão do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (Portugal 2020).

Segundo nota enviada à imprensa, a candidatura foi submetida em julho de 2017 pelos serviços da autarquia, assessorados por Pedro Teiga e pela sua equipa, destinando-se a uma intervenção alargada de restauro, limpeza e manutenção das galerias ripícolas, com controlo de infestantes e a plantação de espécies autóctones ao longo das margens do Rio Tâmega, em Amarante, incluindo o restauro e construção de muros e de açudes, pontes e pontões, bem como a criação e manutenção de espaços de inundação preferencial, de forma a prevenir a ocorrência de cheias.

A autarquia, com esta operação, pretende “reabilitar quatro trilhos ao longo das margens do Tâmega, permitindo o usufruto pela população, a sua sensibilização para a proteção dos recursos hídricos e da fauna e da flora existentes. Na zona mais central da cidade está incluído o custo com o restauro e o reforço dos muros e dos açudes mais emblemáticos e a criação de um espaço multifuncional no Rossio, na área recentemente adquirida pela autarquia”.

termo de aceitacao assinatura (2)

José Luís Gaspar, presidente da Câmara Municipal de Amarante referiu que a aprovação desta candidatura “é mais uma vitória no cumprimento do nosso projeto político para Amarante, pois irá possibilitar concretizar uma ideia que sempre defendi de deixarmos de ter uma cidade de costas voltadas para o rio. Mas para isso, claro, é necessário um trabalho custoso de reabilitação das suas margens, há muito abandonadas, para finalmente devolvermos o nosso Rio Tâmega à cidade”.

A candidatura será agregada a outros investimentos que o município pretende fazer, tais como a ligação definitiva entre o parque das Bucas e um novo parque de estacionamento contíguo, a partir do qual será feita uma passagem pedonal para o Parque Multifuncional do Rossio (que deixará de ser área de aparcamento para passar a área de inundação preferencial em caso de cheia), servido de um elevador que ascenda à cota da Rua Cândido dos Reis.

A aprovação desta nova candidatura permitirá dar continuidade à estratégia de investimento no Plano de Proteção do Rio Tâmega, agora de uma forma muito consistente e permitirá, em conjugação com o Plano de Mobilidade da Cidade de Amarante, concretizar a estratégia de melhoria das acessibilidades no centro histórico.

Importa ainda referir que o impulso provocado pela aprovação desta candidatura permitirá que Amarante venha a ser integrada no PGRI – Plano de Gestão dos Riscos de Inundação, um plano europeu com acesso específico a iniciativas para zonas críticas.

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta

Apoie o jornalismo de qualidade.
Faça uma doação para este projeto.